Cerca de 50 anos depois será reposta a ligação, sobre o rio Coina, que unia o Barreiro e o Seixal.

O Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Carlos Humberto de Carvalho, e o Presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, assinaram, no Barreiro (ontem, 28 de junho, Dia da Cidade, nas instalações do Clube Naval Barreirense) e no Seixal (no dia 25 de junho), o Protocolo entre os municípios do Barreiro e Seixal, referente à construção da ponte pedonal e ciclável que ligará, dentro de, aproximadamente, um ano, os dois concelhos.

 

“Uma velha reivindicação dos dois concelhos” foi como Carlos Humberto de Carvalho caracterizou a construção desta ponte. A sua inexistência, ao longo de quase cinco décadas, é, para o Presidente, “uma injustiça para os povos dos dois concelhos e para as populações do Arco Ribeirinho Sul”.

Para além desta infraestrutura os dois municípios reivindicam a construção de uma ligação rodoviária “muitíssimo importante”, que irá encurtar os 16 quilómetros que os distancia. Segundo Carlos Humberto de Carvalho “estamos na proposta no combate e estamos, permanentemente, a encontrar soluções que melhor sirvam as populações”. Neste contexto, recordou o compromisso em edificá-la, assumido pelo Primeiro Ministro, na recente visita ao concelho do Barreiro.

Salientou a importância das deslocações em modos suaves fomentadas em muitos países do mundo, permitindo “aproximar as populações e promover a relação interconcelhia, ao nível das atividades económicas, desportivas, culturais e lúdicas”, referiu.

Na opinião do Presidente é preciso “dar dimensão cultural e turística aos estuários do Tejo e de Coina, do ponto de vista desportivo, da mobilidade, lúdico, ecológico, ambiental e económico”. Um investimento que, segundo Carlos Humberto de Carvalho, “os municípios per si não estão disponíveis, tornando-se necessário o envolvimento de outras entidades privadas e públicas para a importância que estes estuários podem ter no desenvolvimento futuro da Região e do País”.

Este projeto integra-se numa visão integrada e estratégica para o Arco Ribeirinho Sul, partilhada pelos municípios que o compõem. “Vamos tomando medidas e decisões, passo a passo, vamos concretizando essa estratégia. “Este protocolo revela um contributo importantíssimo porque reaproxima as pessoas do ponto de vista material e físico, pois as populações passam a estar a cinco minutos de distância e isto é, extraordinariamente, importante para o desenvolvimento dos dois concelhos”.

 

Com a execução deste projeto, a rede ciclável do concelho do Barreiro ficará aumentada. Atualmente, é de oito quilómetros, estando e ser construído mais um troço, de cerca de um quilómetro, na estrada municipal 510.

 

Por seu lado Joaquim Santos agradeceu, em particular, ao Presidente Carlos Humberto e ao seu Executivo do Barreiro, “a forma aberta como sempre tem entendido o exercício do Poder Local, as parcerias com os outros municípios, a visão alargada e partilhada com a Região de Setúbal e a Área Metropolitana de Lisboa”.

 

“Um bom exemplo para o País”

De referir que o valor global da candidatura no âmbito do PAMUS (Plano de Ação Mobilidade Urbana Sustentável) é de 4.426.550,00 (quatro milhões, quatrocentos e vinte e seis mil e quinhentos e cinquenta euros), repartido da seguinte forma:

PAMUS – Seixal = 2.526.558,00 (dois milhões, quinhentos e vinte e seis mil, quinhentos e cinquenta e oito euros;

PAMUS – Barreiro = 1.900.000,00 (um milhão e novecentos mil euros).

A União Europeia financia 50% sobre os valores anteriores.

Em relação ao Quadro Comunitário de Apoio, Joaquim Santos salientou que este foi visto como uma oportunidade para os dois concelhos. “Tentámos aproveitá-lo para ações conjuntas intermunicipais. Os fundos europeus são importantes para fazer estas parcerias”. Na sua opinião “este é um bom exemplo para o País. Há uma estratégia integrada e partilhada pelos dois concelhos, se outros povos do mundo constroem muros, estes dois concelhos constroem pontes”.

 

Recorde-se que no decorrer do Festival Náutico, no Seixal, a 25 de junho, os presidentes das duas autarquias, na presença de vereadores e autarcas respetivos, assinaram, pela primeira vez, este protocolo, a bordo da embarcação tradicional varino “Amoroso”. A viagem da comitiva do Barreiro foi realizada a bordo do varino “Pestarola” até ao Seixal.

Partilhe esta notícia