A península de Tróia é um postal ilustrado, ao longo da orla do Estuário do Sado destaca-se a areia fina e dourada, os golfinhos, as aves, as ruínas romanas e o mar, que vai do verde-água ao azul-cobalto e faz as delícias dos amantes de desportos aquáticos, designadamente os adeptos do mergulho, da vela e do windsurf.

Quanto às infraestruturas, a antiga Ilha de Acála – como foi denominada pelos Romanos – sofreu, nos últimos anos, uma profunda remodelação urbano-paisagística, a maior será, provavelmente, a criação do sofisticado TROIA RESORT, onde não faltam hotéis, apartamentos turísticos, restaurantes, um Centro de Eventos, um Centro de Espetáculos, um Casino, uma marina com capacidade para 184 embarcações e, ainda, um campo de golf, eleito em 2011 como um dos melhores campos de golfe do mundo pela Rolex. Contudo, o TROIA RESORT carateriza-se, essencialmente, por ter conseguido o impensável: conjugar a qualidade com a beleza natural sem beliscá-la, pelo contrário, assumindo-a como um fator de diferenciação.

No entanto, existia mais um mito: Tróia é, apenas, sinónimo de verão. E, foi com o objetivo de quebrar esse mito que o TROIA RESORT em parceria com o TROIA NATURA promoveram nos dias 18 e 19 de outubro, a primeira edição do ON TROIA AVENTURA, dois dias inteiramente dedicados a atividades de turismo de natureza e de desporto para miúdos e graúdos, que fizeram as delícias de mais de mil pessoas.

O Diretor Geral do TROIA RESORT, João Madeira, explicou que “o ON TROIA pretendeu dar a conhecer ao público a diversidade da oferta de atividades deste destino turístico ao longo de todo o ano, proporcionadas pelo seu enquadramento natural”.

“As atividades mais procuradas pelos visitantes foram a observação de golfinhos – na qual os participantes puderam observar a população de roazes do Sado, a única em Portugal e uma das poucas na Europa que vive num estuário -, passeios de bicicleta, percursos pedestres na orla do Estuário do Sado para observação de aves e plantas, visitas às Ruinas Romanas de Tróia – classificadas desde 1910 como Monumento Nacional – e batismos de mergulho”, explicou Sofia Lareiro, responsável pela comunicação do evento, em declarações exclusivas ao Distritonline.

Durante o fim de semana, os visitantes puderam também experimentar o stand up paddle na Caldeira de Tróia, uma atividade recheada de tentativas frustradas de alguns dos participantes que queriam manter-se em pé de cima da prancha, mas também de muitas gargalhadas.

Para além destas atividades, as oficinas criativas de cortiça, os workshops de pintura e os ateliers de arqueologia fizeram as delícias dos mais novos. No atelier de arqueologia, as crianças foram transformadas em verdadeiros exploradores que tinham como missão encontrar peças, antecipadamente escondidas pela organização na areia, similares às que os romanos deixaram em Tróia há dois mil anos atrás, nomeadamente ânforas – embalagens utilizadas pelos romanos para transportar peixe salgado e molho de peixe -, Lucernas – uma espécie de lamparina usada com azeite e pavio que servia para iluminar – e taças, utilizadas como loiça de mesa nas refeições. Esta atividade para além de distrair os miúdos procurou, pela brincadeira, sensibilizar as crianças para a importância de preservar o ambiente e os pequenos pedaços que compõem a história de Tróia e, no sentido lato, a história mundial.

E, porque estar em forma é essencial para viver bem, o desporto não foi, de forma alguma, esquecido da programação e as modalidades de fitness – zumba, body balance, treino funcional, circuit training, stretching e pilates – também juntaram muitos adeptos.

A participação no ON TROIA AVENTURA tinha um valor simbólico de dois euros por adulto e era gratuita para as crianças. De acordo com Sofia Lareiro, a verba recolhida, ainda que simbólica, contribuirá, na sua totalidade, “para dar continuidade aos projetos previstos no Plano de Ação para a Salvaguarda e Monotorização da População de Roazes do Estuário do Sado, assim como a outras ações de conservação e reservação que estão relacionadas com a globalidade do Estuário do Sado, nomeadamente a flora e a avifauna”.

Para João Madeira, o sucesso da primeira edição demonstra que estão no caminho certo “para tornar Tróia uma referência do Turismo de Natureza em Portugal”, sendo por isso certo que o ON TROIA AVENTURA terá continuidade.

“Com a realização destes eventos [ON TROIA MERCADO ROMANO e, mais recentemente, o ON TROIA] notamos que conquistámos novos e mais público que não é apenas um destino de verão, mas sim um destino que é possível visitar ao longo de todo o ano com atividades para todos”, acrescentou Sofia Lareiro.

 

O DISTRITONLINE participou no ON TROIA a convite do TROIA RESORT.

Partilhe esta notícia