O Porto de Setúbal, em representação da Associação dos Portos de Portugal (APP), assume-se como coordenador nacional do projeto europeu “GAINN4MoS”. Dentro das linhas de financiamento do “Mecanismo Interligar a Europa” (CEF – Connecting European Facility) destinadas a cofinanciar projetos RTE-T (Redes Transeuropeias de Transportes), a linha relativa à otimização da integração e da interconexão dos modos de transporte e o aumento da interoperabilidade e segurança dos transportes inclui um conjunto de prioridades, entre as quais a concretização das ‘Autoestradas do Mar’.

 

Estas Autoestradas deverão contribuir para a realização de um espaço europeu de transporte marítimo sem barreiras e facilitar o transporte marítimo de mercadorias com os países vizinhos, bem como, promover conceitos de transporte que visem reduzir os impactos negativos do fuelóleo pesado. Neste sentido, foi instituído o projeto “GAINN4MoS” (Sustainable LNG Operations for Ports and Shipping – Innovative Pilot Actions) – com um orçamento de cerca de 40 milhões de euros, envolvendo Portugal, França, Itália, Espanha, Eslovénia e a Croácia, apresentando como objetivos contribuir para a integração da nova diretiva europeia da energia limpa no quadro do sector portuário, energia e transporte marítimo; definir e executar novas regras de atuação dos terminais portuários, ao nível da segurança e logística no transporte e abastecimento dos navios de carga com LNG; desenvolver uma estratégia para o shipping neste âmbito. Portugal, Espanha, França e Itália vieram a beneficiar cada um de cerca de 9 milhões de euros e os restantes países cerca de 1 milhão cada.

 

Portugal candidatou 3 projetos-piloto de “retrofitting” de navios:  “LNG in the Port of Leixões Fleet”; entidade: APDL – Administração dos Portos do Douro e Leixões, SA; orçamento: 2,72 milhões de euros; “PLIM – Projeto Logístico Intermodal da Madeira” Action SHIPS&LOG”; entidade: APRAM SA; parceiros: Grupo Sousa; orçamento: 1,570 milhões de euros; “Deep Blue Atlantic Retrofitting”; entidade: Portos dos Açores, SA; parceiros: Mutualista Açoriana, SA; orçamento: 4,5 milhões de euros.

 

O trabalho entre as duas entidades privadas portuguesas e as empresas públicas gestoras dos portos dos Açores, da Madeira, de Douro e Leixões e de Setúbal e Sesimbra ficou patente nos excelentes resultados obtidos na 1ª reunião do consórcio GAINN4MoS, realizada em Valência a 13 de outubro. Nesta reunião, cada um dos proponentes apresentou as linhas de ação previstas para os pilotos bem como a sua calendarização e Portugal deixou bem vincada a mais-valia dos seus projetos. A comparticipação média comunitária será de 46,5%.

 

 

 

Partilhe esta notícia