Os impostos municipais constituem uma ferramenta fundamental de gestão das autarquias locais.

No ano de 2014, o Partido Socialista do Barreiro entendeu que estavam reunidas as condições necessárias para a Autarquia dar um sinal de apoio – de desagravamento fiscal – a quem investia no seu município. Com efeito, apresentámos propostas de redução do IMI e da “Participação variável do IRS”. Infelizmente, como já vem sendo habitual, ambas as propostas foram rejeitadas pela maioria CDU na Assembleia Municipal.

Recentemente, votámos em sessão de Câmara contra as propostas da CDU, apresentando alternativas de redução do IMI e da taxa variável do IRS.

Não aceitamos a sobrecarga fiscal sobre os barreirenses.

As propostas do PS, perfeitamente acomodáveis no Orçamento da Autarquia, pretendem tornar o Concelho do Barreiro fiscalmente mais competitivo e mais atractivo para os jovens e para a classe média, cuja fixação é fundamental para a sustentabilidade futura do Concelho. Acreditamos que estas medidas constituiriam estímulos com impacto positivo na vida das pessoas, nomeadamente das com menores recursos financeiros.

Constatamos com profunda tristeza que alguns políticos locais preferem dirigir-se a jornais e redes sociais, ao invés de procurar consensos políticos que permitam confrontar a CDU com a sua teimosia fiscal e, deste modo, aliviar a carteira dos barreirenses.

Estamos absolutamente convictos que é hoje possível baixar a carga fiscal sobre o munícipe sem colocar em causa o serviço público prestado.

Nas Assembleias Municipais de Novembro, voltaremos a travar esta batalha de forma construtiva, sem tentações pela demagogia e com contas feitas.

Queremos afirmar o Barreiro pela positiva. Os barreirenses merecem-no.

 

A direcção política do PS Barreiro

Barreiro, 5 de novembro de 2015

 

Partilhe esta notícia