Os deputados do PSD do distrito de Setúbal consideram que o Governo está a condicionar a expansão do Hospital Garcia de Orta, em Almada, com a “eterna promessa da construção do Hospital do Seixal”.

 

Na sequência de uma reunião, realizada na passada quinta-feira, entre o Conselho de Administração do Hospital Garcia de Orta, e os deputados do PSD, acompanhados pelo presidente da concelhia de Almada, Miguel Salvado, foi realçado o problema estrutural com que esta unidade hospitalar se debate desde a sua abertura.

 

Desde o primeiro dia que o hospital não conseguiu ativar a capacidade de internamento que estava projetada, tendo essa capacidade ficado desajustada face aos anos que passaram desde o projeto inicial até à sua construção.

 

“Um dos grandes problemas que é necessário corrigir é a dificuldade em escoar os doentes da urgência. Em alturas de grandes picos de afluência não se consegue transferir os utentes para internamento”, explica Maria Luís Albuquerque.

 

Este problema estrutural tem vindo a ser corrigido ao longo dos últimos anos, tendo o Conselho de Administração revelado que irá investir cerca de 10,5 milhões de euros para fazer a ampliação do hospital.

 

Contudo, este investimento poderia ser mais do dobro, cerca de 22 milhões de euros, caso o Governo não tivesse prometido a construção do Hospital do Seixal, que ainda não saiu do papel.

 

“A administração do Garcia de Orta está condicionada pela eterna promessa do PS em construir o Hospital do Seixal, não avançando para a construção de uma infraestrutura capaz de responder aos problemas existentes e permitindo que esta unidade hospitalar cresça ainda mais no nível de atendimento e na qualidade prestada aos utentes”, afirma a deputada do PSD.

 

“O Governo está a impedir a expansão deste hospital prejudicando os profissionais de saúde e a população”, acrescenta.

 

Maria Luís Albuquerque recorda ainda os aumentos de capital realizados pelo Governo anterior, que permitiram o saneamento financeiro do Hospital Garcia de Orta e que criaram condições para um trabalho da gestão que se traduz em benefícios para os utentes.

 

Partilhe esta notícia