O deputado do PSD, Bruno Vitorino, acusou ontem o Governo de diminuir a verba destinada ao Centro Hospitalar Barreiro/Montijo, em comparação com anos anteriores, questionando se este corte vai afetar a compra de medicamentos e o investimento em material de consumo clínico.

 

Interpelando o ministro da tutela, em comissão especialidade do Orçamento de Estado para 2017, o deputado do PSD recordou que durante estes últimos anos, PS, PCP e BE “tinham uma narrativa, em que acusavam o anterior Governo de acabar com o centro hospitalar, de cortar no orçamento, de desinvestir no hospital, de desmantelar o Sistema Nacional de Saúde, de matar pessoas”.

 

“Apesar de termos herdado um país na bancarrota que nos foi deixado pelo Governo Sócrates/Costa, foi possível reduzir o passivo de 38 milhões de euros em 2012, para 6 milhões de euros em 2015, aumentar os recursos humanos nas especialidades médicas e aumentar a produtividade”, sublinha.

 

“Agora nos vossos novos tempos, sem troika, sem resgate, sem programa cautelar com dinheiro em abundância, com o fim da austeridade, a verba para o centro hospitalar diminui”, acrescenta.

 

Com menos investimento, Bruno Vitorino quer saber como vai ser possível contratar pessoal, comprar equipamentos, abrir novas valências e garantir o funcionamento do hospital, exigindo ao ministro que garanta que com estes cortes não irá faltar verba para medicamentos ou para material de consumo clinico.

Partilhe esta notícia