A Distrital de Setúbal do PSD acusa o Governo de reduzir o horário de funcionamento dos Centros de Saúde em Almada, por falta de profissionais.

Os social-democratas apontam o exemplo da UCSP Santo António do Laranjeiro, onde por falta de recursos humanos, o atendimento dos mais de 15000 utentes, passará a ser reduzido em 2 horas por dia. Ou seja, o ministério da Saúde reduz o atendimento numa altura – proximidade ao período de inverno – em que o mesmo devia ser alargado.

Os social-democratas dizem que as promessas se sucedem, mas que os problemas concretos dos utentes dos Centros de Saúde se agravam, sobrecarregando, ainda mais, as já sobrelotadas urgências do Hospital Garcia de Orta. É inconcebível que quando as gripes e outros problemas respiratórios têm o seu pico, se reduzam os horários de funcionamento das unidades locais de saúde.

Maria Luís Albuquerque, deputada do PSD, afirma que os socialistas continuam a prometer um reforço de recursos humanos, mas o que se tem vindo a assistir é o seu contrário. “Averdade é que não se tomam medidas concretas para integração de mais médicos e enfermeiros nas equipas de saúde familiar”, sublinha.

O presidente da Distrital de Setúbal do PSD, Bruno Vitorino, lembra que o partido sempre alertou que “é necessária uma aposta nos cuidados de saúde primários, ou seja, equipando os Centros de Saúde com dotações realistas de profissionais, de meios complementares de diagnóstico, com horários alargados de atendimento não programado, possibilitando assim uma rápida resposta aos utentes e deixando apenas os casos mais graves para os hospitais, reduzindo dessa forma a pressão sobre as urgências hospitalares.

 

26 de novembro de 2018

Partilhe esta notícia