O presidente da Distrital de Setúbal, Bruno Vitorino, acusa o PCP de “denegrir” sistematicamente os serviços públicos, através das inúmeras «comissões de utentes», que com “capa de coisas sérias” são formadas por militantes desta força política.

O dirigente social-democrata sublinha que “existem múltiplos exemplos, praticamente todas as semanas de novas «comissões de utentes» inventadas pelo PCP, somente para atacar as instituições públicas e aos seus trabalhadores”.

“Ainda esta semana assistimos à autointitulada Plataforma da Península de Setúbal em Defesa do Serviço Nacional de Saúde a falar sobre a alegada degradação dos cuidados de saúde nesta região, pondo em causa todo o trabalho que tem vindo a ser feito por médicos, enfermeiros e todos os outros profissionais que trabalham nesta área”.

Bruno Vitorino lembra que o Distrito de Setúbal foi uma das regiões mais afetadas pelas más políticas do anterior governo, nomeadamente ao nível da Saúde, onde foi suspenso o investimento na recuperação e na construção de novas infraestruturas, mas também na deficiente gestão dos recursos existentes, quer humanos quer materiais.

“O PS deixou-nos na bancarrota. Estes últimos anos foram bastante difíceis, mas nem por isso o Governo deixou de investir na saúde no distrito de Setúbal. Foram pagos milhões de euros de dívidas herdadas. Foram construídos novos Centros de Saúde, outros requalificados, foram abertos concursos para médicos de família. É lamentável que o PCP continue sempre esta luta do bota-abaixo, porque com isto está a denegrir a imagem das nossas instituições”, refere. O social-democrata diz ainda que o PCP “não tem que ter vergonha do seu símbolo partidário, não precisando de utilizar supostas comissões de utentes para fazer o seu trabalho”.

Bruno Vitorino dá como exemplo Luísa Ramos, uma destacada militante e dirigente comunista em Almada, ironizando que “devia queixar-se ao sindicato, pois o seu partido obriga-a a trabalhar mais horas do que o estipulado por lei”.

“De manhã é porta-voz da «Plataforma da Península de Setúbal em Defesa do Serviço Nacional de Saúde» e da «Comissão de Utentes de Transportes da Margem Sul». Da parte da tarde dá a cara pelo «Movimento de Utentes dos Serviços Públicos» e pela «Comissão de Trabalhadores da TAP». À noite é dirigente do PCP”, exemplifica.

O presidente da Distrital de Setúbal do PSD reconhece que ainda há muito por fazer, mas acrescenta que “não é constantemente a deitar abaixo os serviços públicos e os seus trabalhadores que os problemas se irão resolver, mas sim a trabalhar diariamente para arranjar soluções concretas”.

Partilhe esta notícia