O presidente da distrital de Setúbal do PSD, Bruno Vitorino, acusa o PCP de querer destruir a Autoeuropa, à semelhança do que fez com a CUF, a Setenave e a Lisnave, empresas que eram uma referência na região.

“Para o PCP o que interessa é quanto pior melhor. Há partidos que só vingam se a pobreza existir. Para que depois possam apontar responsabilidades aos sucessivos governos”, criticou o social-democrata na sua intervenção na rentrée do PSD no distrito, que se realizou no Montijo.

Bruno Vitorino alerta ainda para as consequências que poderão ocorrer desta situação: “manipulam os trabalhadores que podem hipotecar os seus postos de trabalho”, acrescentando que começa a existir um “vírus venezuelano que anda a empestar o ar”.

Para o secretário-geral do PSD, estas ações estendem-se ao governo, onde o PCP apesar de encenar a contestação a várias decisões, apoia a “cultura das cativações”.

“Andam há dois anos a depenar os serviços públicos do estado. As escolas fecham por falta de professores e auxiliares. As pessoas têm que esperar cada vez mais por consultas e cirurgias”, aponta.

Nesta iniciativa anual, que junta os social-democratas do distrito, o candidato da coligação PSD/CDS-PP à presidência da Câmara Municipal do Montijo, João Afonso, realçou a qualidade das listas apresentadas aos diversos órgãos autárquicos, bem como o programa eleitoral que visa responder aos problemas concretos das pessoas.

“Temos propostas para mudar o Montijo, para melhorar a qualidade de vida das pessoas, como a construção de um novo hospital. Isto é um projeto concreto que queremos realizar. É uma prioridade”, assume.

O presidente da distrital da JSD de Setúbal, João Pedro Louro, e o candidato à presidência da União de Freguesias do Montijo e Afonsoeiro, Vasco Fernandes, congratularam-se pelo número de jovens que integram as listas aos órgãos autárquicos do Montijo, sublinhando a aposta feita na juventude.

Partilhe esta notícia