O deputado e presidente da Distrital de Setúbal do PSD, Bruno Vitorino, afirma que a situação a que se assiste atualmente em Vale de Chícharos, conhecido também por Bairro da Jamaica, no Seixal, é culpa da autarquia, que durante décadas não assumiu as suas responsabilidades e competências.

Na sequência de uma iniciativa organizada pelo PSD local sobre os bairros sociais, que teve como orador Victor Reis, ex-presidente do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, o dirigente social-democrata criticou fortemente a atuação da Câmara Municipal do Seixal, ao longo de décadas, que “nunca quis resolver os problemas do Bairro da Jamaica e do bairro de barracas de Santa Marta de Corroios”.

“Esta autarquia, a exemplo de outras no país, teve a oportunidade de acabar com este tipo de situações através do Plano de Realojamento Especial. No entanto, e ao contrário de outros municípios, o Seixal apresenta atualmente 526 famílias com necessidade de realojamento. Quase tantas como em 1993. Ou seja, praticamente nada mudou”, sublinha.

Fátima Prior, presidente da concelhia do PSD Seixal, vai mais longe na sua avaliação. “Tal como o Victor Reis disse na sua intervenção, todos os municípios que ficaram com o PER por executar têm o cunho do PCP”.

Apesar do Bairro da Jamaica ser o mais mediático, o ex-presidente do IHRU chamou a atenção para o contínuo crescimento do bairro de barracas em Santa Marta de Corroios. “A Câmara do Seixal mais uma vez, continua a fechar os olhos a esta situação que se está a agravar”.

Para Victor Reis, o Bairro da Jamaica é um caso paradigmático “de como uma Câmara Municipal se demite das suas funções e suas competências”, considerando mesmo que não existe em Portugal um caso tão grave.

Sobre a solução encontrada pela Câmara Municipal, “só tomada porque começaram a aparecer relatórios a dizer que os prédios estavam em risco de cair”, juntamente com a Santa Casa da Misericórdia do Seixal, o ex-presidente do IHRU mostra-se pessimista. “Receio que esse processo não vá até ao fim”.

Aumentado ainda o tom das críticas, Victor Reis fez uma comparação: “Como é possível uma Câmara ter um edifício sede de milhões, ao mesmo tempo que convive com uma realidade como a do Bairro da Jamaica?”

Fonte:PSD

Partilhe esta notícia