Na Assembleia Municipal do Seixal, que decorreu esta segunda-feira na Sociedade Filarmónica União Seixalense, Filipe Arede Nunes e Rui Belchior Pereira, membros da bancada do PSD Seixal, foram alegadamente insultados e alvos de tentativas de agressão por parte de um munícipe.

Na sequência dos incidentes o PSD do Seixal, em comunicado, critica a “passividade do primeiro secretário, Américo Costa, que substituía Alfredo Monteiro, Presidente da Assembleia Municipal”.

De acordo com o PSD, “Filipe Arede Nunes, membro da bancada do PSD Seixal, foi o principal alvo dos insultos dirigidos por parte do munícipe que, não chamado a atenção por parte de quem presidia à Assembleia Municipal, encetou ainda vários comportamentos que conduziriam a tentativas de agressões físicas, ao deputado municipal da bancada do PSD Seixal, não fosse a rápida intervenção de um Deputado do PCP e a este episódio seguiu-se um outro mais grave, visando o líder de bancada do Partido Social Democrata, Rui Belchior Pereira”.

“Fomos vítimas de ameaças e tentativas de agressão. Acho inacreditável que as pessoas a quem incumbe dirigir os trabalhos – Américo Costa e depois Alfredo Monteiro – tenham permitido durante o todo o tempo o indivíduo na Assembleia Municipal constringindo a intervenção livre da bancada”, refere Rui Belchior Pereira, líder da bancada do PSD Seixal, em comunicado, reiterando que não abandonaram a Assembleia Municipal “por respeito ao eleitorado”.

Os atos, de acordo com os social-democratas, “foram severa e veemente condenados por todas as bancadas da Assembleia Municipal”.

“Estas situações são de lamentar num órgão democraticamente eleito. Deve-se respeitar a Assembleia e qualquer tentativa de calar a liberdade dos agentes políticos, é grave e deve ser condenável”, refere Bruno Vasconcelos, presidente do PSD Seixal, enaltecendo que está “solidário com toda a bancada do PSD Seixal na Assembleia Municipal, no excelente trabalho que têm efetuado em prol da população do Concelho do Seixal”.

Em comunicado, o PSD acrescenta que “os trabalhos prosseguiram mais tarde sem que, no entanto, o munícipe fosse retirado da audiência”.