O deputado do PSD do distrito de Setúbal, Bruno Vitorino, considera inacreditável que o Governo PS, PCP e BE, venha dizer que considera prioritária a construção do novo quartel da GNR na Moita, mas que adie o início da obra para 2018.

A autarquia apresentou em 2015 uma proposta de permuta do antigo Quartel dos Bombeiros Voluntários da Moita, que é pertença do Ministério da Administração Interna, com um terreno do município onde seriam construídas as novas instalações para a GNR.

“Lembro que o anterior Governo PSD/CDS já tinha dado instruções para que esta permuta se realizasse e para que a obra pudesse avançar em 2016. Caso os calendários definidos pelo Governo anterior se mantivessem o quartel seria uma realidade já no início de 2017”, explica.

Bruno Vitorino critica também a “passividade” da Câmara da Moita. “Antes, com o processo a avançar para estar concluído em início de 2017, tínhamos um mau Governo e que era muito lento a agir. Agora, quando o próprio Governo admite que só lá para 2018 é que a obra poderá arrancar, já temos um bom Governo”.

 

“Esta posição da Câmara só é justificável porque o PCP é um dos partidos que suporta o atual Governo”, realça.

“Entretanto, assistimos ao acentuar da degradação do edifício”, diz Bruno Vitorino acrescentando que “com mais este adiamento, existe a necessidade do Ministério ou da Câmara realizarem obras no atual quartel da GNR para que os militares possam ter condições de trabalho minimamente condignas, melhorando também as condições para o atendimento à população”, exigindo ainda a construção imediata do novo quartel.

Partilhe esta notícia