O deputado e presidente da Distrital de Setúbal, Bruno Vitorino, destacou ontem as obras feitas pelo Governo na região, bem como as potencialidades naturais, turísticas e económicas do distrito.

Na intervenção de abertura das jornadas parlamentares do PSD e CDS-PP, que se realizaram ontem e hoje em Alcochete, o social-democrata defendeu que a região tem “enormes potencialidades ao nível da indústria, do turismo, das áreas naturais, da economia do mar”, sublinhando ainda que existem “exemplos de sucesso no distrito em todas as áreas de atividade”.

“É preciso desmontar a ideia que a esquerda tentou sempre passar, de que o Governo não gosta do distrito de Setúbal, que o Governo não investe no distrito de Setúbal. E não é verdade, nós temos de saber desmistificar esta questão. Apesar de as dificuldades, apesar de ainda haver muito fazer, também muito foi feito naquilo que nós chamamos às vezes a micropolítica, em questões concretas que dizem respeito ao dia-a-dia das pessoas”, acrescentou.

Bruno Vitorino deu como exemplo o investimento feito nas forças de segurança, “com mais efetivos, com novas infraestruturas, como os novos quarteis da GNR em Palmela e em Cercal do Alentejo e a nova esquadra da PSP em Corroios, bem como a recente decisão do Governo em instalar uma esquadra da PSP no centro do Barreiro”.

O deputado do PSD lembrou ainda a revisão do POPNA, os investimentos feitos na Costa da Caparica para defesa da orla costeira, o apoio às IPSS e às PME´s, a aposta na atividade portuária, bem como a mudança de paradigma no Arco Ribeirinho Sul, na revitalização dos seus parques industriais.

“Este último, um projeto que sofreu uma mudança profunda levada a cabo por este Governo, que privilegia a captação de investimento e de empresas e a criação de emprego, ao contrário do que estava previsto pelo PS que assentava na promoção imobiliária”.

O social-democrata disse ainda que a região “não precisa de projetos, que na atual conjuntura, nunca sairiam do papel”.

 

“Somos um distrito que não precisa, se calhar, de ter um novo aeroporto, ao contrário do que outros defendiam, mas somos um distrito que vai continuar a insistir no aproveitamento da Base Aérea N.º 6, no Montijo, como complementar à Portela. Somos um distrito que, se calhar, não precisa de novas terceiras travessias sobre o Tejo para nos ligarem a Lisboa, mas precisa que continue a haver uma aposta nas infraestruturas e na ligação dos diversos concelhos entre si, nomeadamente na ponte Barreiro-Seixal, ou na requalificação do IC1, entre Alcácer e Grândola”, apontou.

Bruno Vitorino criticou também o “preconceito ideológico de muitas autarquias que bloqueiam o desenvolvimento e que criam obstáculos ao investimento privado”.

Partilhe esta notícia