A Distrital de Setúbal do PSD considera que o Porto de Setúbal nos últimos anos deu um “grande impulso” à economia e à competitividade da região neste setor.

Paulo Ribeiro realça o crescimento de 25% nas toneladas de carga, que passaram de 6 milhões em 2012 para 7,5 milhões em 2015, o aumento de 142% ao nível dos contentores, que passaram de 50 mil TEU​ para 121 mil TEU, e do número de navios que cresceu 30%, de 1200 para 1600.

O vice-presidente da Distrital de Setúbal do PSD enaltece o trabalho da administração cessante dos Portos de Setúbal e Sesimbra, presidida por Vítor Caldeirinha, que durante estes últimos anos “fez um excelente trabalho não só ao nível do crescimento da atividade e ao nível financeiro, em que os resultados foram sempre positivos, mas sobretudo na aposta na relação porto-cidade, na revitalização e obras na zona ribeirinha e na economia do mar”.

“Claramente existiu uma estratégia clara de crescimento e investimento no porto, que agora o Governo tenta travar ao prescindir da competência de pessoas com provas dadas, fazendo prevalecer a opção de “jobs for the boys and girls” afirma o dirigente do PSD.

“Simultaneamente, o Governo insiste na fusão dos portos de Lisboa e de Setúbal, o que provocará a subalternização de um porto que tem uma autonomia consolidada, com uma estratégia de crescimento sustentável e uma identidade histórica que não pode ser esquecida”, acrescenta.

Refira-se ainda que até abril de 2016, o Porto de Setúbal cresceu 2,5% no movimento total em toneladas e 40% nos contentores em TEU.

A Distrital de Setúbal do PSD continuará a lutar pela autonomia dos portos de Setúbal e Sesimbra, apostando numa estratégia de crescimento e investimento na cidade e da região, que este Governo quer colocar em causa.

Partilhe esta notícia