O deputado do PSD do Distrito de Setúbal, Paulo Ribeiro, sublinhou que o Governo está a garantir a qualidade da saúde em Sines, com a constrição do novo Centro de Saúde na freguesia, dando assim resposta às necessidades da população.

Em audição com os utentes dos serviços públicos de Sines, que se realizou quinta-feira na Assembleia da República, o social-democrata sublinhou que o novo equipamento de saúde “vai colmatar uma falha grande na prestação de cuidados à população da zona”.

“Este é um desejo antigo de Sines e de todos os responsáveis políticos da região”, congratulando-se por o investimento ter sido “tornado uma realidade por este Governo”.

Paulo Ribeiro reconhece a “carência de médicos” na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano, defendendo que é necessário criar “incentivos específicos” para “cativar” médicos para a região, que podem passar por “estímulos financeiros” ou a “possibilidade de contratar diretamente”.

O deputado do PSD disse ainda, perante os peticionários de Sines, que não havia indicações nenhumas de que o serviço de Finanças de Sines poderia encerrar, afirmando que esse é um assunto que “nem se coloca”. Na ocasião, acrescentou que o Governo apresentou recentemente o Programa Aproximar, que concebe um novo modelo de organização dos serviços públicos, cuja distribuição pelo território privilegia a proximidade da Administração Pública aos cidadãos e às empresas. “Procura-se aproximar o Estado daqueles para quem o Estado existe”.

Em relação ao Tribunal de Sines, constituído pelo Juízo Misto do Trabalho e da Família e Menores de Sines, Paulo Ribeiro explicou que este Tribunal, criado em 2009, nunca teve um volume de processos que justificasse a sua existência, pois teve em média 40 processos de trabalho e 102 processos de família e menores, não se justificando a sua manutenção.

Partilhe esta notícia