Os deputados do PSD do distrito de Setúbal aguardam que o visto do Tribunal de Contas para o início das obras de reparação do troço do IC1, entre Alcácer do Sal e Grândola Norte, seja dado o mais depressa possível.

 

Pedro do Ó Ramos lembra que esta obra “insere-se nas renegociações efetuadas entre o anterior Governo PSD/CDS com a subconcessionária, que se traduziram na redução do objeto do contrato desta subconcessão, uma das tristemente famosas PPP Rodoviárias”.

 

Para finalizar este processo e dar início à calendarização e arranque das obras no IC1, falta o visto do Tribunal de Contas, algo que o deputado do PSD espera que se venha a obter “o quanto antes”, pois o projeto de beneficiação já se encontra concluído.

 

Bruno Vitorino explica que a situação herdada pelo anterior Governo, espelhada nos termos da PPP em causa,” impedia qualquer resolução rápida e direta do problema por parte das Estradas de Portugal, porque obrigava a renegociar, baixando os custos, para ser minimamente sustentável, algo que a concessionária não tinha grande interesse em fazer”.

 

Apesar de ter sido um processo moroso, o anterior Governo, feita a renegociação e compreendendo a prioridade de intervenção no IC1, decidiu proceder à obra, mandatando as Estradas de Portugal para que a intervenção fosse feita.

 

“Foi assim tomada a decisão política, feito o projeto, garantida a verba necessária no valor estimado de 6 milhões de euros para que a obra fosse feita. Tendo este último compasso de espera, sido da responsabilidade do Tribunal de Contas”, realça.

 

O deputado acusa os socialistas de serem “os grandes responsáveis” pelo atraso desta obra, pela “complexidade” do problema deixado.

 

“Não tenho dúvidas de que agora, depois deste longo processo estar concluído e a verba garantida, que vão ser os primeiros a tentar chamar para si os louros do trabalho feito pelo anterior Governo PSD/CDS”, conclui.

Partilhe esta notícia