O vereador do PSD na Câmara Municipal do Barreiro, Bruno Vitorino, vai exigir explicações ao presidente da autarquia sobre o que está a ser planeado para a zona ribeirinha, defendendo que o concelho “não pode ficar refém de decisões avulsas”.

O social-democrata sublinha que esta é a zona do Barreiro “mais emblemática e com maior potencial de desenvolvimento turístico e de visitação, não podendo ser tomadas decisões avulsas que prejudiquem este potencial”.

Bruno Vitorino diz que “é altura de se deixarem de fazer intervenções pontuais” e delinear, de uma vez por todas, uma estratégia integrada para a zona ribeirinha do concelho, bem como para a sua interligação ao Barreiro Velho.

“De um dia para o outro derrubaram o Moinho Pequeno, que era património histórico-cultural do Barreiro, para construir um edifício novo, com um projeto que nada tem a ver com o original, apanhando a população de surpresa. Mais ninguém sabe qual o uso a dar ao edifício. Tudo feito nas costas da população e dos eleitos”, afirma.

“Hoje em dia ouvimos falar de praias artificiais, campos de padel, de planos para a Quinta do Braamcamp, mas a realidade a que assistimos é que as coisas se vão discutindo sem um rumo concreto e sem uma estratégia pensada”, acrescenta.

Bruno Vitorino diz que o PS não pode governar a Câmara “somente para a aparência, para que nos vídeos aparente ser tudo bonito. As decisões têm de ser integradas numa visão e os projetos sustentáveis”.

“O PS até agora não mostrou qualquer tipo de estratégia ou projeto integrado para a zona ribeirinha. Esperemos que o presidente da Câmara, nos possa esclarecer o que pretende fazer para todo esse espaço”, adianta.

Importa recordar que Bruno Vitorino, nas últimas autárquicas, apresentou um projeto que tinha como objetivo recuperar faseadamente a zona ribeirinha, não só como pólo de atratividade turístico, mas também como potenciador da requalificação do património histórico existente.

 

Partilhe esta notícia