Os vereadores do PSD na Câmara Municipal do Montijo chumbaram ontem a proposta de orçamento da maioria PS para 2015, por considerarem que o mesmo “não apresenta qualquer estratégia de desenvolvimento” e que “promove a estagnação do concelho”.

O orçamento da Câmara Municipal para 2015 foi chumbado com os votos contra do PSD e da CDU, tendo os social-democratas dirigido duras críticas à proposta apresentada pelo executivo socialista.

Segundo os autarcas do PSD, a autarquia não tem qualquer estratégia para o concelho, o que se pode avaliar pelo facto de passado um ano de mandato “a Câmara Municipal está praticamente sem atividade nem executa minimamente as tarefas básicas, como por exemplo falta de manutenção das estradas, dos jardins e espaços verdes, falta de limpeza nas ruas e contentores do lixo”.

“A autarquia não promove a dinamização económica do concelho, os empresários estão praticamente abandonados à sua sorte. Não há qualquer política para a criação de emprego nem para instalar novas atividades económicas”, apontam.

Os social-democratas acrescentam que “não há política de apoio social, pois a autarquia nem sequer colabora de forma efetiva com as instituições de solidariedade social existentes no concelho, disso é exemplo a não execução do protocolo das residências do Montepio”.

“A Câmara Municipal é governada, não de forma institucional pelos autarcas que foram eleitos pelo povo, mas por uma família cujo protagonista é o Presidente Nuno Canta”, sublinham, criticando ainda o edil de estar “em guerra aberta com os autarcas do PS ignorando os vereadores do seu partido que na maioria dos casos só tem conhecimento das propostas camarárias no dia da sessão de Câmara, estando em causa o regular funcionamento do órgão”.

“As propostas para o orçamento apresentadas pelo PSD foram praticamente ignoradas. O PSD está como sempre esteve disponível para colaborar na resolução dos problemas dos montijenses, não estando como até aqui esteve a CDU, disponível para colocar os interesses de alguns acima dos interesses da população. A gestão do PS/CDU terá de mudar”, realçam.

Partilhe esta notícia