O deputado e presidente da Distrital de Setúbal do PSD, Bruno Vitorino, considera “preocupantes” os dados sobre os casos de violência doméstica na região, revelados pelo Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2018.

Segundo este documento, divulgado na passada semana, os casos reportados de violência doméstica aumentaram em 5,6% no distrito de Setúbal, quando comparados com os dados de 2017. Existiram mais 131 ocorrência em 2018, do que ano anterior, num total de 2.458 casos.

Estes números colocam o distrito no último lugar do pódio, relativamente à violência doméstica, só superado por Lisboa e Porto.

Bruno Vitorino recorda que o PSD apresentou recentemente, no Parlamento, cinco diplomas para melhorar a execução da lei no âmbito da violência doméstica, que passam por um agravamento da pena máxima de cinco para seis anos e pela redução da possibilidade de penas suspensas. 

Em termos de criminalidade, embora tenha existido uma ligeira descida no número de ocorrência participadas, Setúbal mantém-se como o terceiro distrito com maior índice de criminalidade geral (29.987 casos) e também com mais situações de criminalidade grave (1.506 casos).

O distrito de Setúbal representa 9% da criminalidade geral e 10,8% da criminalidade violenta e grave, a nível nacional.

“Apesar de todo o esforço que é feito pelos homens e pelas mulheres das forças de segurança, os números do distrito continuam preocupantes. Infelizmente a sua dedicação e o seu trabalho não conseguem resolver todos os problemas”, sublinha o social-democrata.

Almada encabeça a lista da região com mais participações (6.568), seguida do Seixal (4.142), Setúbal (3.952) e Barreiro (3.357).

Bruno Vitorino diz que “sem meios e sem um aumento do número de efetivos será muito difícil retirar o distrito da lista negra da criminalidade”.

“Este Governo ignora a realidade do distrito, bem como os problemas e dificuldades das forças de segurança. Não só não resolve problemas, como ainda tem intervenções públicas onde retira autoridade aos polícias” relembrando o recente caso do Bairro da Jamaica.

O social-democrata exige que o Governo “invista de uma vez por todas na segurança do distrito, para fazer face à criminalidade existente”.

Partilhe esta notícia