O Vitória de Setúbal venceu, no último domingo, por 2 – 0, a equipa do Gil Vicente na segunda jornada da Liga portuguesa.
Bastaram 22 minutos para os sadinos inaugurarem o marcador por Miguel Pedro “assistido” por um defensor de Barcelos, num lance caricato.
Depois do intervalo, os gilistas tomaram o controlo do jogo e ameaçaram, por várias vezes, a baliza de Setúbal, particularmente aos 67’ quando o recém-entrado Diogo Viana viu a trave negar-lhe o golo, que igualaria a partida.
Aos 76’ Forbes é derrubado na área por Yamissi e o árbitro assinala grande penalidade contra o Gil Vicente. João Schmidt, chamado a converter, colocou a bola dentro das redes e estabeleceu o resultado final.
No final da partida, Domingos Paciência reconheceu que o resultado foi melhor do que a exibição, apesar de considerar a vitória “justa”.
“Os sócios do Vitória são exigentes, mas que não se esqueçam de que, em 18 jogadores que hoje estiveram aqui, 12 nunca tinham jogado na Primeira Liga. Há que dar tempo a uma equipa que ainda está a ser construída”, acentuou o técnico sadino.