Secretário de Estado da Economia visita SGL (antiga Fisipe)

No período em que decorre a consulta pública do “Regulamento Municipal de Concessão de Incentivos ao Investimento”, o Secretário de Estado da Economia, João Correia Neves, acompanhado pelos Presidentes, do Município do Barreiro, Frederico Rosa, e da Assembleia Municipal, André Pinotes e pelo Vereador Rui Braga, realizou a 15 de fevereiro, uma visita à SGL COMPOSITES S.A. (antiga FISIPE S.A.), produtor europeu de fibras acrílicas e precursor de fibra de carbono. É uma empresa de referência. Fundada em 1973, emprega atualmente 300 trabalhadores diretos e exporta para 40 países em todo o mundo.   

De acordo com Frederico Rosa, “é importante receber o Secretário de Estado num momento de processo de elaboração do Regulamento fundamental para atrair mais indústria e criar mais emprego. Nós no Barreiro somos amigos do investimento e queremos potenciá-lo”. 

Classifica a SGL como “uma referência no Barreiro, por todo o esforço que fez de inovação e desenvolvimento e porque hoje temos a consciência que atua no mercado altamente competitivo à escala global”. 

No final da visita, o Secretário de Estado considerou a visita “interessante”, felicitou aempresa e disponibilizou apoio do Estado para o que fosse preciso. Destacou também a importância do referido Regulamento.

O documento pretende, segundo o Vereador Rui Braga “adquirir investimento novo, mas também dar uma oportunidade a quem já tem cá o seu negócio e a quem possa crescer e ver na Câmara um parceiro”. A Autarquia pretende, deste modo, “beneficiar aqueles que querem empregar e fixar pessoas na nossa terra. É uma palavra de incentivo para quem quer criar trabalho e riqueza e a quem quer cá viver à beira de Lisboa”.

De referir que o Regulamento estabelece as regras e as condições que regem a concessão de apoios ao investimento pelo Município do Barreiro, a projetos que se revistam de inequívoco interesse Municipal. 

Em relação ao futuro da empresa, o Administrador da SGL, Andreas Witte, destacou o aumento de produção de precursor de fibra de carbono, nos próximos dois anos.

Fonte:CMBarreiro

Fote:CMBarreiro

Partilhe esta notícia