A Câmara Municipal do Seixal reunida hoje, dia 5 de dezembro, nos Serviços Centrais da autarquia, aprovou, entre outros temas, diversas comparticipações financeiras a associações do concelho e a tomada de posição “Pela construção da ponte pedonal e ciclável Seixal-Barreiro”.

O Município do Seixal aprovou diversos protocolos, contratos-programa e comparticipações financeiras, no valor total de cerca de 500 mil euros, ao movimento associativo do concelho, nas diversas áreas de atuação, o que permitirá qualificar os seus equipamentos, potenciando o desenvolvimento da sua atividade em prol da população.

Destaque para a aprovação da comparticipação financeira, no valor de 75 mil euros, para reforçar os apoios às obras de reabilitação das instalações da União Recreativa Juventude de Fernão Ferro.

O contrato-programa e respetiva comparticipação financeira, no valor de 200 mil euros, para a construção da nova sede da Associação dos Amigos do Tocá Rufar, no âmbito das Normas e Critérios de Apoio ao Movimento Associativo Cultural do Concelho de Seixal, foram também aprovados.

A autarquia aprovou ainda um contrato-programa a celebrar com a Santa Casa da Misericórdia do Seixal e respetiva comparticipação financeira, de cerca de 317 mil euros, para despesas relacionadas com as obras, mudanças, condomínios e seguros, referentes ao alojamento de 64 agregados familiares residentes, em situação de grave carência habitacional, no lote 10 do loteamento da Quinta Vale de Chícharos.

 

O executivo municipal aprovou também durante a reunião a tomada de posição “Pela construção da ponte pedonal e ciclável Seixal-Barreiro”.

Este documento reitera a necessidade absoluta de concretização desta ponte para a ligação pedonal e ciclável entre o Seixal e o Barreiro, conforme compromisso escrito assumido entre os dois municípios, em 2017, fundamental para aproximar os dois concelhos, facilitar a circulação das suas populações, bem como garantir as ligações de atividades económicas à rede local, regional, nacional e internacional.

 

Por outro lado, exige que o governo avance com o processo de construção das pontes rodoviária e ferroviária entre o Seixal e o Barreiro, conforme está previsto no Plano Rodoviário e no contrato de concessão do Metro Sul do Tejo.

 

Para Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal, “este investimento é uma prioridade, pois trata-se de uma infraestrutura que facilitará a deslocação dos nossos munícipes, tendo em conta que os dois concelhos estão a cerca de 800 metros de distância em linha reta, contudo, sem esta ponte, essa distância aumenta para 13 quilómetros.

 

Estamos disponíveis para resolver e ultrapassar qualquer constrangimento que possa surgir no âmbito da concretização deste projeto, tendo em conta que se trata de uma infraestrutura de extrema importância na mobilidade do concelho e que liga as zonas ribeirinhas do Seixal, Arrentela e Amora ao centro do Barreiro.”

Tomada de Posição_Ponte Seixal Barreiro

Fonte:CMSeixal

Partilhe esta notícia