A construção de uma ponte rodoviária que ligue o Seixal ao Barreiro é uma prioridade fundamental, pois esta infraestrutura permitirá aproximar os dois concelhos, facilitar a circulação das suas populações, bem como garantir as ligações de atividades económicas à rede local, regional, nacional e internacional.

Os dois concelhos estão a cerca de 400 metros de distância em linha reta, contudo, sem esta ponte, essa distância aumenta para 16 quilómetros. Por este motivo, as Câmaras Municipais do Seixal e do Barreiro vão estar na próxima terça-feira, dia 6 de junho, às 15.30 horas, na EN 378-1, no Alto do Brejo, concelho do Seixal, para reivindicar junto da Administração Central a construção urgente desta ponte.

Recorde-se que os dois concelhos já estiveram ligados em tempos, mas por via ferroviária. Em 1923, o vapor proveniente do Barreiro apitou pela primeira vez sobre a ponte que o ligava ao Seixal. O tráfego foi suspenso em 1969, após uma colisão de um navio, que provocou danos na estrutura, que não voltou a ser recuperada.

Apesar desta ponte estar contemplada na Estrada Regional 10, criada através do DL 98/99 de 26 de julho, e em vários planos e projetos, como acontece com as acessibilidades complementares à Terceira Travessia do Tejo, até ao momento não foi concretizada, pelo que as autarquias exigem que sejam tomadas todas as medidas necessárias para que este acesso seja concluído.

É que esta ponte integra a Estrada Regional 10, que liga Almada ao Seixal, estando atualmente apenas executada entre Almada e Corroios, com um viaduto inacabado.

Será também importante para uma possível quarta fase do MST, pois se for executada a 2.ª fase do Metro Sul do Tejo, até à estação da Fertagus do Fogueteiro e a 3.ª fase até ao Seixal, com ligação ao Barreiro e Baixa da Banheira, concelho da Moita, o MST poderá utilizar esta ponte para fechar um anel entre a Moita, Barreiro e o Seixal.

Esta ponte será também fundamental para potenciar vários investimentos estruturantes na região, como sejam a construção da Terceira Travessia do Tejo, rodoferroviária, Chelas-Barreiro e a instalação do Novo Terminal de Contentores do Porto de Lisboa, no Barreiro, ou como a construção do novo aeroporto de Lisboa, em Alcochete.

Partilhe esta notícia