O SeixalJazz está de volta com a 21.ª edição, de 15 a 24 de outubro, sempre às 22 horas e em segurança, face ao panorama covid-19. O Seixal continua a apoiar e a marcar o seu espaço no panorama jazzístico nacional e o cartaz chega em 2020 com projetos só portugueses, de qualidade indiscutível e que irão sem dúvida enobrecer o palco deste festival internacional.

 O Sexteto de Jazz de Lisboa, com Mário Laginha, Francisco Brito, Mário Barreiros, Edgar Caramelo, Ricardo Toscano e Tomás Pimentel é a prova do elevado nível desta edição, que abre o pano com um coletivo que nasce em 1984 e que surge agora com algumas novidades na formação, acompanhado de uma sonoridade marcadamente contemporânea, a qual foi muito bem acolhida pela crítica e entusiastas. Têm as honras de abertura do SeixalJazz 2020, no dia 15 de outubro, quinta-feira.

No dia seguinte, sexta-feira, sobe ao palco o trio de André Rosinha para apresentar a Árvore, o novo disco do contrabaixista, lançado em dezembro de 2019, e que mereceu classificação «5 estrelas» pela prestigiada jazz.pt. A encerrar a primeira semana de jazz no Seixal, uma tuba, uma guitarra e uma bateria, o trio TGB, formado em 2003, com Sérgio Carolino, Mário Delgado e Alexandre Frazão.

A segunda semana SeixalJazz arranca logo na quarta-feira, dia 21, com o trio que junta Eduardo Raon, na harpa, Luís Figueiredo, no piano e João Hasselberg, no contrabaixo, para apresentar o disco «This Was What Will Be», uma edição de autor de abril de 2020. O projeto LAB, co-liderado  pelos músicos Ricardo Pinheiro (guitarra) e Miguel Amado (baixo elétrico),  chega na quinta-feira à noite, com composições de sua autoria e para o qual convidam Tomás Marques, no saxofone e Diogo Alexandre, na bateria, vencedores do prémio jovens músicos 2019, na categoria jazz. 

quinteto da pianista Isabel Rato, um dos nomes femininos mais destacados da nova geração do jazz nacional, regressa no dia 23 de outbro, sexta-feira, a uma casa que tão bem conhece e traz consigo músicos com créditos já firmados no panorama nacional, João David Almeida, na voz, João Capinha, nos saxofones (soprano, alto e tenor), João Custódio, no contrabaixo, e Alexandre Alves, na bateria. Recorde-se que, a também compositora, arranjadora e produtora, é residente no Seixal e tem colaborado desde 2018 n’O SeixalJazz Vai à Escola.

O SeixalJazz 2020 encerra no sábado, dia 24 de outubro, com o quarteto do vibrafonista Eduardo Cardinho, na companhia de músicos consagrados, Ben Van Gelder, no saxofone, João Barradas, no acordeão, Bruno Pedroso, na bateria, e André Rosinha, no contrabaixo, um projeto escrito e pensado para esta formação.

No cumprimento das indicações da Direção-Geral da Saúde, serão asseguradas as condições de segurança, o distanciamento físico e o número de pessoas que se podem agrupar num mesmo espaço. Os assistentes de sala encaminharão os espetadores para os seus lugares, conforme a ordem de chegada.

Para os que ainda não tiveram contacto com as propostas desta edição, já está disponível uma playlist no canal Deezer, bem como todas as informações no site oficial e nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram

Fonte : CM Seixal

CLÁUDIO ANAIA

www.relances.blogspot.com