O Cabo Espichel é o tema da 4.ª edição do Finisterra Arrábida Film Art & Tourism Festival, que decorre de 6 a 10 de maio, em Sesimbra. A apresentação terá lugar no dia 6, na Fundação Portuguesa de Comunicações, em Lisboa, e incluiu uma conferência Internacional sobre Cinema e Turismo, com a presença de vários oradores e realizadores nacionais e estrangeiros.

Este ano, o festival conta com a participação de 178 filmes, oriundos de 48 países, entre eles cinco produções estrangeiras com algumas imagens rodadas no concelho de Sesimbra.

“Temos menos filmes devido à redução de produções portuguesas, mas mantivemos o mesmo número de países que concorreram ao festival em 2014, alguns dos quais pela primeira vez, o que para nós é muito gratificante, porque reflete a projeção que este certame tem tido em todo o mundo”, afirma Carlos Sargedas, diretor do Finisterra.

Carlos Sargedas destaca ainda a qualidade dos trabalhos apresentados em 2015, sobretudo os 30 premiados, que podem ser vistos entre os dias 7 e 9, a partir das 21 horas, no Cineteatro Municipal João Mota. “Para além destes serão exibidos outros 20, que completam a “shortlist” dos 50 filmes escolhidos pelo júri. São todas produções com um nível bastante bom”, vincou.

Uma das novidades da 4.ª edição do Finisterra é um ciclo de cinema que se realiza em simultâneo com o festival. Dois deles são estreia mundial, em concreto, o filme brasileiro Tiro, do realizador Juca Gonçalves, e Fantasia, realizado pelo norte-americano Jonh Frey. El Mal de Arriero, do espanhol José Camello Manzano, com cenas rodadas no Cabo Espichel, e Os Prisioneiros, filme de animação português premiado internacionalmente, de Margarida Madeira, são os restantes filmes do ciclo de cinema.

Outra novidade é a produção de timelapses abertos ao público, que vão decorrer em vários locais do concelho, no dia 7, com a participação do ucraniano Kirill Neiezhmakov, autor do famoso vídeo sobre Lisboa, Sesimbra e o Cabo Espichel.

O festival é preenchido com uma exposição de pintura do artista plástico Gustavo Fernandes, e duas de fotografia, uma sobre a Patagónia, do Chileno Cristián Aguirre Duffourc, e outra sobre Porto Seguro (Brasil), de Carlos Sargedas.

O programa incluiu ainda um apontamento musical pelo grupo Caixa de Pandora, um momento de teatro com os representantes da comitiva brasileira de Porto Seguro, que estarão de novo em Sesimbra como zona e país convidados, visitas a caves de vinhos, castelos, palácios, praias e serra da Arrábida, e passeios de jipe e de barco.

A sessão de encerramento está marcada para o dia 10, domingo, às 15 horas, no Cineteatro Municipal João Mota onde, para além da entrega dos prémios, será apresentada a versão legendada em inglês do filme sobre o Cabo Espichel, da autoria de Carlos Sargedas, e um espetáculo musical com Luísa Amado, antiga guitarrista de Carlos Paredes.

A 4.ª edição do Finisterra Arrábida Film Art & Tourism Festival é organizada pela Arrábida Film Commission e conta com o apoio de várias entidades, entre as quais a Câmara Municipal de Sesimbra.