O volume de vendas de embalagens de medicamentos não sujeitos a receita médica aumentou 6,2% no primeiro semestre de 2014, representando um valor superior a 19 milhões de euros, refere o relatório divulgado Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed).

Entre janeiro e junho deste ano, comparativamente com igual período do ano transato, venderam-se mais medicamentos não sujeitos a receita médica fora das farmácias e dos hospitais (em supermercados, por exemplo), com o valor das vendas a aumentar 2,7%.

De acordo com o Infarmed, Lisboa, Porto e Setúbal são os distritos que registaram vendas mais expressivas, em oposição a Bragança, Portalegre e Guarda, onde foi registado o mais baixo volume de vendas.

Os produtos mais vendidos foram os analgésicos, os antipiréticos e os medicamentos para regularizar os intestinos.

Partilhe esta notícia