Os enfermeiros do Centro Hospitalar Barreiro/Montijo realizam, esta segunda-feira, uma greve de 15 horas, para protestar contra a escassez dos profissionais de saúde e consequente aumento das horas de trabalho.
A paralisação dos profissionais de saúde do Centro Hospitalar Barreiro/Montijo começou às 8h00 e prolonga-se até às 23h00.
Em declarações ao Distritonline, Zuraima Prado, coordenadora da direção regional de Setúbal e do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, confirmou que no Hospital do Montijo a adesão à greve é de 95% e no Hospital do Barreiro, embora ainda não estejam todos os serviços aferidos,” o bloco de partos, o bloco operatório, as consultas externas, os serviços de urologia, de psiquiatria e as urgências gerais estão com 100% de adesão à greve”.
“A falta de enfermeiros não só está a levar os profissionais de saúde à exaustação, como também está a gerar um grande problema relativamente à segurança da prestação de cuidados de saúde aos utentes”, salientou Zuraima Prado.
Relativamente às informações que foram veiculadas nos últimos dias que o Centro Hospitalar do Barreiro/ Montijo prepara-se para contratar 40 enfermeiros, a sindicalista salientou que “ainda não foram confirmadas”, contudo, para Zuraima Prado “só no Hospital do Barreiro são necessários mais de 100 enfermeiros, por isso mesmo que se confirmem essas informações o número de enfermeiros continuará a ser insuficiente”.
Na concentração à porta do Centro Hospitalar Barreiro/Montijo, realizada esta manhã, aos enfermeiros juntaram-se os representantes da comissão de utentes e os órgãos autárquicos.
José Manuel Fernandes, representante da Comissão de Utentes da Baixa da Banheira, referiu que esteve presente para demonstrar o apoio da comissão de utentes do arco ribeirinho para com a luta dos enfermeiros, uma vez que para defenderem os utentes, têm de “defender a qualidade dos serviços prestados, nomeadamente pelos enfermeiros”.
Segundo o represente da comissão de utentes, nos últimos meses verificou-se “um caos autêntico” no Centro Hospitalar Barreiro/ Montijo, nomeadamente nos serviços de dermatologia, otorrinolaringologia e oftalmologia, que “têm desviado os utentes para o Hospital Garcia de Orta, onde esperam mais de 12h por uma consulta”.
O presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Carlos Humberto, também esteve presente na concentração e, ao Distritonline, sublinhou que a autarquia estará “sempre ao lado dos que lutam pela qualidade do Serviço Nacional de Saúde e pela qualidade do serviço prestado no Centro Hospitalar do Barreiro/ Montijo.
“Os utentes só serão, convenientemente, tratados, se os profissionais de saúde tiverem condições dignas de trabalho, motivados, empenhados e em número suficiente”, acentuou o autarca.
Carlos Humberto referiu ainda que a CMB tem “feito vários contatos não só com o conselho de administração do Centro Hospitalar, mas também com representantes do Governo”, para que esta situação seja ultrapassada.
O Distritonline contatou o Centro Hospitalar Barreiro/ Montijo, a propósito da greve dos enfermeiros, mas, até ao momento, não obteve resposta.

Partilhe esta notícia