Comunicado das Células do PCP na TRANSTEJO e na SOFLUSA

Situação da Transtejo e da SOFLUSA exige que o Governo e a Administração passem das palavras aos actos!

No dia do 96° Aniversário, uma delegação do PCP constituída por dirigentes nacionais e regionais e pelo Deputado Bruno Dias teve um encontro com a Administração e reuniu com as CT e Sindicatos da TRANSTEJO e da SOFLUSA, para se inteirar da situação destas empresas.

Nestes encontros ficou claro que para a regularização da operação das empresas é necessário que o Governo e a Administração passem das palavras aos actos e tomem as medidas excepcionais que a situação exige para o restabelecimento da operacionalidade da frota e fiabilidade do serviço publico que presta.

Para o PCP e para as Organizações dos Trabalhadores é importante que o governo e administração reconheçam que a política seguida nos últimos anos foi ruinosa –  degradou a frota e colocou em causa o serviço publico prestado por estas empresas.

Mas para a superação dos problemas com que as empresas se debatem exige-se que Governo e Administração, no âmbito das suas responsabilidades e competências e sem mais demoras tomem as decisões necessárias ao inicio das acções de manutenção da frota, necessárias a repor a fiabilidade do serviço publico prestado aos utentes e populações.

O protelamento destas medidas e decisões é inaceitável e gerador das condições para novas e mais graves interrupções do serviço público prestado aos utentes e populações servidas pela TRANSTEJO e SOFLUSA.

Para o PCP, esta visita tornou ainda mais evidente que o brio profissional e respeito pelos utentes e pelo serviço publico dos trabalhadores foi determinante para que as populações não tenham sido   confrontadas com ainda maiores transtornos.

O PCP inteirou-se também nesta visita do inadmissível (e provocatório para os trabalhadores) adiamento da promulgação pelo governo do Acordo de Empresa acordado com os trabalhadores em 28 Dezembro.

A TRANSTEJO e a SOFLUSA são estratégicas para a mobilidade na Área Metropolitana de Lisboa e para o desenvolvimento e o progresso económico e social da região e do país.

Para o PCP impõe-se que se reforce e melhor o serviço publico de transporte fluvial, o que passa pela adopção de dois tipos de medidas.

No plano da frota e da sua operacionalidade – Adopção urgente de plano de modernização da frota de a implementação de um plano de manutenção que responda de modo efectivo e permanente às questões nucleares da fiabilidade da operação, segurança e operacionalidade dos navios e pontões.

No plano dos trabalhadores – Que se para com a destruição de postos de trabalho e ponha fim à precarização das relações laborais, e se admite para os quadros das empresas os trabalhadores em falta em todas as áreas de actuação, com especial

relevo na manutenção e marítima, assegurando a integração dos trabalhadores com vínculos precários, a par da dignificação das carreiras e aumentos salariais que reponham o poder de compra. E se desencadeie um plano de formação permanente que garanta a preparação dos trabalhadores para responderem às exigências técnicas do futuro.

O PCP reafirma aos trabalhadores da TRANSTEJO e da SOFLUSA o seu compromisso de com os trabalhadores e o povo português tudo fazer para a defesa das empresas e prosseguir a luta pela reposição e conquista de direitos e rendimentos.

 

PCP

Partilhe esta notícia