“Mataram as searas” tem estreia marcada para dia 18, na Alternativa Rádio

Com as salas de espetáculo ainda encerradas, o Teatro Politécnico do IPS encontrou uma forma de fazer chegar ao público as suas criações, fiel ao espírito do “teatro porta a porta” que tem orientado os seus sete anos de história.

“Mataram as searas”, peça que teria subido ao palco pela primeira vez a 27 de março, Dia Mundial do Teatro, não fosse o contexto de crise sanitária, tem agora estreia marcada, em formato de radionovela, já na próxima segunda-feira, dia 18, pelas 10h30h, na emissora Alternativa Rádio.

O texto é de José Caldeira Duarte, escritor e docente aposentado do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), foi posteriormente adaptado para teatro e será agora matéria-prima para um conjunto de episódios, a transmitir diariamente em quatro horários possíveis: 10h30, 16h30, 19h30 e 02h30.

Com encenação de José Gil, docente da Escola Superior de Educação (ESE/IPS), a produção conta com um elenco de uma dezena de atores e sonoplastia de João Ferraria, Pedro Felício e do próprio autor, reunindo contributos de toda a comunidade académica do IPS, entre estudantes e trabalhadores docentes e não docentes.

Basedo no livro homónimo, publicado em 2015, “Mataram as searas” narra uma história de resistência passada num contexto histórico bem recente. Num país “arrasado” pela austeridade da troika, um grupo de amigos, homens e mulheres, decide “começar de novo” levado pelo sonho de “resistir ao roubo da terra e da dignidade”. Para o autor, “regressar ao formato de novela”, que fez furor nos anos dourados da rádio, “significa manter viva a criação teatral em tempos difíceis”.

Para mais infomações ou para conhecer melhor este projeto, contactar teatro.politecnico@ips.pt.