A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino em declarações a Antena 1 e Jornal de Negócios, avança: “O terminal do Barreiro está mais para o lado de avançar”

No entanto o dito terminal será em moldes diferentes daquilo que pretendia o antigo governo : “Tudo o que se posiciona neste momento é que as características desse terminal não terão nada a ver com o que foi anunciado há três ou quatro anos, um terminal de águas profundas no Porto de Lisboa. Não existem condições para um terminal de águas profundas, será um terminal de contentores que terá a sua utilidade em termos económicos e logísticos”.

Na entrevista a ministra ainda adianta :  “Diria que está mais para o lado de avançar do que não avançar. Não me posso substituir à autoridade de avaliação de impacto ambiental, a agência portuguesa do ambiente. Mas por aquilo que são os resultados do estudo de impacto ambiental, por aquilo que são os pareceres das várias entidades, por aquilo que eu própria observei, poderão existir condições físicas de sustentabilidade para que seja concretizado um terminal, não com as exigências físicas que estavam programadas inicialmente, mas um terminal um pouco ao nível dos terminais que existem na margem norte do Tejo”.