Os trabalhadores da Soflusa,  empresa que faz a ligação fluvial entre o Barreiro e Lisboa, decidiram esta sexta-feira aceitar a proposta da empresa de utilizar um barco de menor capacidade para resolver a questão da falta de manutenção.

“A situação foi debatida e os trabalhadores aceitaram a proposta da empresa. A partir de segunda-feira, a empresa vai enviar um dos barcos para manutenção, o que vai durar 30 dias, e vai recorrer a um outro barco da Soflusa para fazer o serviço”, explicou, à agência Lusa, Frederico Pereira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

Os trabalhadores reuniram-se hoje em plenário, o que levou à paralisação das carreiras entre as duas margens durante o período da tarde, tendo já sido retomadas.

O sindicalista referiu que o barco que vai substituir terá uma capacidade menor, o que pode causar algumas perturbações, mas permite manter sete barcos em funcionamento durante as horas de ponta.

“Esta proposta para resolver o problema da falta de manutenção das embarcações é um remendo e um sinal da degradação do serviço nas empresas públicas de transportes”, concluiu.

Recorde-se que, os trabalhadores já tinham recusado a utilização de barcos da Transtejo, do mesmo grupo, para o seu serviço, criticando a falta de manutenção da frota.

Partilhe esta notícia