A greve parcial de três dias na Soflusa, responsável pelas ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, começa na próxima terça-feira e vai afetar as carreiras entre as duas margens nas horas de ponta.

Durante a manhã, a última carreira será às 7h20, com as ligações a serem retomadas a partir das 9h40. Já no período da tarde, o último barco é as 16h, com as ligações a serem retomadas às 18h.

Os trabalhadores da Soflusa estão contra as alterações dos horários dos funcionários que atracam e desatracam os barcos na ligação Lisboa – Barreiro.

Em declarações exclusivas ao Distritonline, José Manuel Oliveira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), explicou que os trabalhadores da Soflusa estão contra as alterações dos horários dos funcionários que atracam e desatracam os barcos na ligação Lisboa – Barreiro, mas que a “questão central do conflito é a ocupação de postos de trabalho efetivos por trabalhadores precários”.

Para a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações, os horários propostos pela empresa do grupo Transtejo que faz a ligação entre o Barreiro e Lisboa têm “aspetos ilegais”. José Manuel Oliveira confirmou que a queixa à Autoridade das Condições de Trabalho deverá ser entregue “nos próximos dias”.

Apesar de as mudanças na administração da empresa, o responsável da Fectrans tem “sérias dúvidas” que o quadro de pessoal seja aumentado. “É uma administração que vem para cumprir aquelas que são as orientações do Governo e o que está em causa na Soflusa decorre da proibição que as empresas públicas têm, atualmente, de admitir novos trabalhadores, por isso temos sérias dúvidas que esta administração tome uma posição que afronte aquelas que são as instruções do Governo”, sublinhou José Manuel Oliveira, acrescentando que os trabalhadores estão firmes na luta.

Partilhe esta notícia