A Organização Concelhia do PCP teve conhecimento que a maioria PS na Câmara Municipal do Barreiro está a intimidar os trabalhadores doentes de risco de forma inaceitável.

Os trabalhadores estão a ser contactados para assinar uma declaração, ilegal, que pretende transferir as responsabilidades da entidade patronal, para com a saúde de todos os trabalhadores da autarquia, para os próprios trabalhadores, de forma individualmente considerada. Estes trabalhadores estão a ser chantageados e pressionados para ir trabalhar, colocando em risco a sua saúde. Aqueles que têm resistido à assinatura da tal declaração e permanecem em casa são ameaçados de perder subsídios como o de refeição.

O PCP não pode deixar de denunciar esta situação procurando alertar os trabalhadores para o facto de esta ser uma política inaceitável e criminosa.

1 – Uma gestão autárquica verdadeiramente democrática nunca colocaria os trabalhadores e as suas famílias numa situação de vida ainda mais difícil.
Sabendo que estas pessoas sobrevivem com salários baixíssimos, muitas com o salário mínimo de 635€, e que os subsídios constituem uma importante fonte de rendimento, nalguns casos a rondar os 200€. Tendo conhecimento que há agregados familiares, dos trabalhadores da Autarquia, cujo único salário a entrar em casa é do próprio trabalhador. Compreendendo que a situação de pandemia tem deixado milhares de trabalhadores no desemprego e em lay-off. A maioria PS devia assumir as suas responsabilidades e recuar nesta opção política, que se traduz numa decisão de carácter violentíssimo.

2 – Uma gestão autárquica verdadeiramente democrática utilizaria todos os meios existentes para garantir o direito constitucional à saúde e nunca poria em risco a vida destes trabalhadores. Garantido a existência de máscaras e álcool gel em todos os edifícios da CMB, coisa que actualmente ainda não acontece, e deixando exclusivamente à medicina do trabalho a competência de avaliar a saúde de quem pode, ou não, trabalhar.

Num contexto em que a situação política é marcada por décadas de política de direita e em que o Governo PS, assim como a CMB de maioria PS, se mantêm amarrados aos interesses do grande capital, o PCP sublinha a importância da luta dos trabalhadores como factor decisivo para defender, repor e conquistar direitos.

O PCP reafirma, no quadro da Política Patriótica e de Esquerda que propõe ao povo, a valorização do trabalho e dos trabalhadores como imperativo nacional assim como a urgência do aumento do salário mínimo para 850€ e a necessidade de melhores condições laborais para todos os trabalhadores.

O Secretariado da Comissão Concelhia do Barreiro do PCP

Barreiro, 14 de Agosto de 2020