Com a aproximação da renegociação da exploração por parte da Fertagus da travessia ferroviária da ponte 25 de Abril, o debate público teve início, existindo diversas tomadas de posição, incluindo um manifesto de 100 ditas personalidades que se afirmam contra esta PPP e exigem que seja a CP a explorar esta travessia.

A nacionalização da Fertagus é um enorme erro, que se acontecesse, seria um retrocesso na mobilidade sem precedentes para todos os habitantes da margem sul que se deslocam para Lisboa usando este transporte público. Digo isto pois, ao contrário de muitos que opinam desconhecendo o serviço, eu utilizo a Fertagus, desde os meus tempos de faculdade em Almada, e sempre obtive um serviço de excelência, sem atrasos, sem greves, no qual sei que posso confiar.

O transporte público é um tema sério demais para ser refém de demagogias ideológicas e dicotômicas de serviços privados contra serviços públicos. A verdadeira questão deverá ser se a Fertagus presta um serviço de qualidade aos seus utentes? A resposta está evidente no altíssimo grau de satisfação de clientes nos inquéritos de satisfação realizados e pelo prémio 5 estrelas Portugal 2018 na categoria de Transporte ferroviário de passageiros no Distrito de Lisboa e Setúbal.

Será serio discutirmos a passagem da Fertagus para a CP, quando a CP está a suprimir comboios e tem as dificuldades que todos conhecemos, com atrasos sucessivos e greves que tanto afetam os utentes que necessitam deste transporte diariamente?

Sejamos sérios e pensemos nos utentes e nos seus interesses em primeiro lugar e deixemos a Fertagus continuar o seu trabalho. Porque na política não pode valer tudo em nome de ideologias politicas e fobias contra PPP´s.

O CDS-PP diz Não à Nacionalização da travessia ferroviária da Ponte 25 de Abril.

Sara Machado Gomes
Presidente do CDS-PP Almada

Partilhe esta notícia