Aprender a trabalhar em equipa e sob pressão e tomar as melhores decisões, são as principais aprendizagens destacadas pelos alunos que participaram na Final da 2.ª Edição do Jogo de Gestão Interescolas, que decorreu a 21 de abril, na Escola Superior de Ciências Empresarias do Instituto Politécnico de Setúbal (ESCE/IPS).

 

Após a receção de boas-vindas, feita pelo Sub-diretor da ESCE/IPS, Prof. Doutor João Cordeiro, as 12 equipas apuradas entraram em prova e mostraram as suas verdadeiras competências de gestão, numa disputa saudável mas competitiva.

 

A equipa Roazes, da Escola Secundária du Bocage venceu o primeiro prémio, com um resultado líquido de 128.897 euros. Cada um dos alunos recebeu  como prémio um telemóvel Huawei Y625 e bilhetes para a peça de Teatro “Fuga”, do Teatro de Animação de Setúbal.

 

O 2.º lugar foi para a equipa ESJP Team, da Escola Secundária Jorge Peixinho, do Montijo, com um resultado líquido de 127.365 euros e na mesma cidade também ficou o 3.º lugar da competição para a equipa Deautys, da Escola Profissional, com um resultado líquido de 113.261. euros.

 

Os prémios foram entregues pelo Presidente do IPS, Prof. Doutor Pedro Dominguinhos, que agradeceu a participação de todos, escolas, docentes e alunos, enfatizando que “vencer é importante mas o desafio foi desenvolver competências, como o trabalho de equipa e a tomada de decisões“. Esta iniciativa insere-se numa estratégia global do IPS de aproximação às escolas secundárias e profissionais do distrito de Setúbal e o balanço é muito positivo, aumentando o número de estudantes participantes, o que segundo o presidente do IPS “estamos no caminho correto e é certamente para continuar uma nova edição no próximo ano”.

 

Bernardo Ermitão, porta-voz da equipa vencedora referiu a “pressão do tempo” como o maior desafio desta final, salientando como maior aprendizagem o facto de terem ficado com “uma noção mais real do que é a economia aplicada aos nossos dias” e reforçou que “valeu mesmo a pena participar”. O mesmo sentimento foi partilhado pelo Diogo Martins, da Escola Secundária de Palmela, que mesmo não ganhando referiu que “deu para testar conhecimentos na área da economia e não só“.

 

Os docentes que acompanharam as equipas são unânimes na importância destas iniciativas para o desenvolvimento de competências dos alunos e a possibilidade de lhes mostrar outras alternativas no prosseguimento dos estudos. O Professor Flamino Viola, da Escola Secundária Jorge Peixinho, vê nesta participação a “possibilidade dos alunos pensarem na gestão e economia como uma perspetiva de futuro“.