A proposta da instalação de um serviço de videovigilância nos pontos críticos do concelho do Barreiro, foi novamente chumbada por PS e CDU. Bruno Vitorino, autor da proposta, afirma que socialistas e comunistas negam a realidade.

O vereador do PSD lamenta que “mais uma vez” esta proposta tenha sido chumbada. “Ao contrário do que querem fazer parecer, o Barreiro não é uma terra segura. À exceção da capital do país, o Barreiro é o pior concelho da AML no rácio crimes por habitante”.

“Mesmo com a questão do confinamento, foram feitas 2942 participações. O Barreiro tem uma população de 75 mil pessoas. Os casos de criminalidade grave e violenta aumentaram no nosso concelho. As ofensas à integridade física graves duplicaram. Isto são dados oficiais. É a realidade”, afirma.

Bruno Vitorino diz que a videovigilância permite reduzir, identificar e apanhar quem comete crimes. “É aqui que podemos fazer a diferença. Temos que reforçar todos os instrumentos que tivermos ao nosso alcance, para dar mais segurança às populações”.

“O número de casos que nós temos no Barreiro, é o dobro ou o triplo de outros concelhos. Estes números podiam ser evitados se a Câmara Municipal se despisse de preconceitos ideológicos”, acrescenta.

O vereador social-democrata diz ainda que “o mau serviço à cidade é fecharmos os olhos ao que se passa. Se quem manda finge que o problema não existe, nunca irá resolvê-lo”.

“Estou a ajudar com medidas e propostas concretas a manter o Barreiro uma cidade segura”, sublinha.