XV Congresso distrital da Federação de Setúbal da Juventude Socialista elege novo Presidente e novos órgãos

 

No passado sábado, dia 11 de março, na Biblioteca Municipal do Barreiro, decorreu o XV Congresso da Federação de Setúbal da Juventude Socialista que elegeu Filipe Pacheco como novo presidente da estrutura, com a Moção Global de Estratégia “Geração de Esquerda”.

 

Cerca de uma centena de militantes e dirigentes da Juventude Socialista reuniram no passado sábado, dia 11 de março, no auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro, num congresso extraordinário, neste caso o XV congresso distrital da Federação de Setúbal da JS.

 

A reunião magna dos jovens socialistas do distrito esteve rodeada de enorme simbolismo, uma vez que este congresso aconteceu num espaço já histórico para a Juventude Socialista local. Este foi um momento bastante relevante para a estrutura e, além da comparência de diversos dirigentes nacionais e distritais da Juventude Socialista e do Partido Socialista, contou com a presença e intervenções do Secretário-Geral da JS, Ivan Gonçalves, da Secretária-geral Adjunta do Partido Socialista, Ana Catarina Mendes e de José Luís Barão, em representação da Federação de Setúbal do PS.

 

O Congresso teve como pontos altos a discussão e votação da única Moção Global de Estratégia apresentada a Congresso, como o título “Geração de Esquerda”, e cujo primeiro subscritor foi Filipe Pacheco, a discussão e votação de várias moções setoriais e a eleição da nova Comissão Política da Federação, da nova Comissão de Jurisdição e dos novos representantes na Comissão Política Federativa do PS.

 

Na sessão de encerramento, o novo presidente da Federação de Setúbal da JS, Filipe Pacheco, referiu que pretende que este seja “um projeto político jovem, dinâmico e transformador da nossa estrutura. Um projeto que quer continuar a atual cultura de trabalho, elevando-a a um novo patamar de exigência e de impacto no distrito. Este é um projeto de socialistas, de democratas, que é de jovens e que quer estar próximo dos jovens, mas que é para toda a sociedade”.

 

Referiu também que “Os principais problemas dos jovens do distrito são em grande medida iguais aos problemas dos jovens no país. Por isso, urge defender no distrito emprego digno, estável e de qualidade, no estado ou no privado, combatendo a precariedade e os baixos salários. Urge defender e aprofundar a aposta nas qualificações, como marca clara do nosso modelo social, assente num sistema de ensino universal e tendencialmente gratuito. Urge promover e dar condições para o regresso dos que foram para fora à procura de vida melhor”.

 

Filipe Pacheco acrescentou, ainda, que “As eleições autárquicas deste ano são um objetivo central e o grande combate político que teremos durante este mandato. Queremos transformar a realidade e influenciar políticas locais, nomeadamente ao nível da melhoria da cobertura da rede de transportes públicos do distrito, na implementação a nível local de mecanismos de democracia participativa como os orçamentos participativos jovens, no estabelecimento dos Conselhos Municipais de Juventude em todos os concelhos, como decorre da lei, ou na adoção de práticas de desvalorização fiscal em alguns municípios”.

Partilhe esta notícia