Um equipamento de produção de eletricidade para consumo próprio, a funcionar desde o final de abril, torna a Escola Básica do Bairro Afonso Costa, em Setúbal, autossuficiente a nível energético e valoriza o meio ambiente.

Esta UPAC – Unidade de Produção para Autoconsumo, tecnologia composta por um conjunto de 24 painéis fotovoltaicos que aproveitam a energia solar para conversão em eletricidade, a qual é depois injetada na rede e consumida, quase na totalidade, por aquele estabelecimento de ensino setubalense.

Com esta tecnologia, instalada num investimento de 16.728 euros da Câmara Municipal de Setúbal e cujo retorno financeiro é de sete anos, 99,8 por cento do total da energia produzida de forma sustentável é consumida pela EB do Bairro Afonso Costa, com o excedente a ser injetado na rede pública.

A elevada percentagem de aproveitamento e consumo de energia elétrica produzida por esta UPAC é justificada pelo facto de a EB do Bairro Afonso Costa funcionar, essencialmente, durante o dia, período no qual é gerada a eletricidade.

O equipamento, instalado na cobertura da escola, além da poupança na fatura energética paga pelo município, apresenta vantagens para o ambiente, ao evitar o correspondente ao abate de perto de 10 mil árvores e ao reduzir em cinco toneladas as emissões de dióxido de carbono para a atmosfera.

Esta é a primeira Unidade de Produção para Autoconsumo de dimensão relevante instalada em edifícios de gestão municipal em Setúbal, pela poupança energética e vantagens ambientais alcançadas, depois de uma intervenção feita no Centro Multicultural, na zona da Bela Vista.

Partilhe esta notícia