Apesar dos votos contra do PS, PSD, CDS, PAN e presidente da Junta de Freguesia de Fernão Ferro, a Câmara Municipal do Seixal vai avançar com a implementação do novo passe social intermodal, bem como com outros investimentos importantes para a vida da população do concelho. Esta situação surge no seguimento da última assembleia municipal, a segunda deste ano, que teve lugar nos dias 25 e 26 de fevereiro, onde se debateu e votou a 1.ª revisão do orçamento em vigor. Uma das principais questões desta revisão era a aprovação da transferência de mais de 1,5 milhões de euros da Câmara Municipal do Seixal para a Área Metropolitana de Lisboa (AML), para custear a implementação do novo passe social intermodal, em todos os modos de transporte e em todos os concelhos da AML, com o custo máximo de 40 euros.

Importa referir que o PS, PSD, CDS, PAN e o presidente da Junta de Freguesia de Fernão Ferro, ao votarem contra este novo passe social, demonstraram uma vez mais a sua enorme insensibilidade sobre uma necessidade imperiosa das populações e das cidades. Demonstraram que o que preside ao seu voto não são os interesses dos cidadãos e da população do concelho do Seixal, mas antes interesses partidários contrários ao desenvolvimento e reforço da qualidade de vida.

Esta é a segunda vez que estes o fazem, uma vez que votaram contra esta medida em novembro de 2018, pois este assunto constava da proposta de Grandes Opção do Plano e Orçamento da Câmara Municipal do Seixal para 2019.

Ao votarem contra esta revisão orçamental, estes partidos votaram também contra outras necessidades de desenvolvimento do concelho, como são os casos das ampliações de duas escolas básicas do 1.º ciclo (Arrentela e Bairro Novo – Seixal), da nova Escola Básica do 1.º Ciclo de Fernão Ferro, das novas instalações para a Universidade Sénior no Fogueteiro, da criação de um espaço de apoio aos estudantes no Fórum Cultural do Seixal, da criação do Auditório Municipal de Miratejo, do espaço oficinal da Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, da aquisição de instrumentos musicais e fardamentos para as bandas filarmónicas do concelho, da requalificação das instalações da CERCISA em Miratejo, do apoio à construção dos lares de idosos de Corroios, Casal do Marco, Pinhal de Frades e Fernão Ferro, da continuação do Programa de Realojamento de Vale de Chícharos, do apoio à Creche Social e Paroquial de Sta. Marta do Pinhal, do apoio à construção da Unidade de Cuidados Continuados Integrados de Arrentela, do cheque veterinário para adoção de animais do canil municipal (CROACS), da construção de hortas urbanas em Amora, do equipamento de observação de aves na Baía do Seixal, do novo Parque Natural de Arrentela, do Parque Urbano de Miratejo, da 2.ª fase do Parque Urbano do Seixal, da construção do Crematório Municipal do Seixal, do novo sistema de bicicletas partilhadas do município do Seixal, dos diversos investimentos nas redes de água e saneamento, bem como na manutenção de estradas municipais.

Todas estas propostas, entre muitas outras, também constavam das Grandes Opções do Plano e Orçamento da Câmara Municipal do Seixal para 2019, que foi reprovado por estes partidos. É a segunda vez que PS, PSD, CDS, PAN e o presidente da Junta de Freguesia de Fernão Ferro votam contra equipamentos e projetos essenciais ao desenvolvimento e progresso do município. Mais uma vez fica demonstrado que a estes apenas interessam as questões políticas e partidárias e não o bem-estar dos munícipes do concelho.

Apesar destes votos contra, a Câmara Municipal do Seixal vai concretizar todos estes importantes investimentos, fruto dos votos favoráveis dos eleitos da CDU e do BE na Assembleia Municipal.

Partilhe esta notícia