A Companhia de Teatro de Almada, a comemorar 50 anos de existência, estreia pela primeira vez em Portugal o autor israelita Hanoch Levin que através de Shitz fala da possibilidade de um mundo distópico em que a moral não exista. A encenação é de Toni Cafiero e conta no elenco com André Pardal, Diogo Bach, Erica Rodrigues, Pedro Walter e Ariel Rodriguez (piano). Shitz estreia dia 30 de Abril, às 20h, dia 2, às 11h, e manter-se-à em cena, de terça a sábado, às 21h, e domingos, às 16h, até dia 30 de Maio.

«Em Junho de 1967 rebentou a Guerra dos Seis Dias, um acontecimento que marcou um ponto de viragem na História do Estado de Israel. Após algumas semanas, o exército israelita atacou de surpresa três exércitos árabes – egípcio, sírio e jordano – e, em menos de uma semana, venceu e conquistou vastos territórios. Esta vitória sem precedentes desencadeou um sentimento de superioridade e arrogância na sociedade israelita, e poucos foram os que ousaram pensar e falar de modo diferente. Um deles foi Hanoch Levin (1943 1999) que, através das suas peças, se tornaria um autor controverso, pela forma como satirizava a euforia israelita, destruindo os mitos de heroísmo e de sacrifício pela pátria.

Com Shitz, Levin misturou pela primeira vez dois géneros conhecidos da sua criação: a comédia familiar e a sátira política. Escrita em 1974, é uma peça “de duas guerras”: a Guerra dos Seis Dias, a que se seguiu um período de  pós-guerra que proporcionou a muitos israelitas oportunidades de enriquecimento rápido e, para Levin, constituiu o começo de uma acentuada decadência moral. E a Guerra do Yom Kipur, que deflagrou em Outubro de 1973 e é em Shitz pano de fundo para um dos mais comoventes monólogos da História do teatro israelita: uma veemente acusação da brutalidade e da leviandade com que o Estado trata a vida dos seus cidadãos. Shitz foi levada à cena várias vezes em Israel (em 1975, encenada pelo próprio Levin). Em 2015 foi apresentada na Ópera de Israel com música do compositor israelita Yoni Rechter.» (Mulli Melzer, editor da obra de Levin)

Toni Cafiero, formado pela École Internationale de Théâtre Jacques Lecoq, é um encenador e cenógrafo italiano de teatro e de ópera cujo trabalho tem merecido o reconhecimento internacional. Em 2016, para a Companhia de Teatro de Almada, assinou a encenação de O feio, de Marius von Mayenburg, estreada no Festival de Almada desse ano e tendo tido enorme sucesso junto do público e da crítica.

Shitz (Sala Experimental de 30 de Abril a 30 de Maio de 2021. Estreia sexta às 20h00, domingo 2 às 11h00. A partir daí de terça a sábado às 21h00, e domingos às 16h00). Duração aprox.: 90min. | M/12

Texto de Hanoch Levin 

Encenação de Toni Cafiero 

Tradução Lúcia Mucznik
Música Ariel Rodríguez
Cenografia Toni Cafiero e Guilherme Frazão
Figurinos Ana Paula Rocha
Luz Guilherme Frazão
Apoio vocal Ana Ester Neves
Assistente de figurinos Carolina Furtado
Execução de guarda-roupa Sónia Marques e Xana Capela
Intérpretes André PardalDiogo BachErica RodriguesPedro WalterAriel Rodríguez (piano)


Apoio: Embaixada de Israel em Lisboa

Fonte : CTA

(claudio.anaia@distritonline.pt)