A Associação Barreiro Património, Memória e Futuro e a Cooperativa Cultural Popular Barreirense, ao abrigo do protocolo de cooperação, realizam, em conjunto, a conferência “A identidade do Barreiro  e o Património industrial”,  proferida por Deolinda Folgado, no próximo 7 de Julho, pelas 21H00 na Cooperativa Cultural Popular Barreirense.

Nesta sessão será lançado o  número 5º da Revista Fundição, editada pela Associação Barreiro Património, Memória e Futuro” e subordinado ao tema “ A industria Quimica:  Ex-Cuf/Quimigal Centro Histórico  de Arqueologia Industrial”.

Esta conferência insere-se num ciclo de conferências promovido pelas associações integrantes do Projecto Espaço L, dedicado ao tema “Património cultural”, tendo como objectivo específico a preservação e divulgação do património barreirense.

Deste passado recente ficou um património único no País, como único foi o seu processo de industrialização  no todo nacional. Um património edificado que urge preservar, reabilitar, reutilizar.  Um património imaterial, não menos importante, que urge transmitir na inteireza da sua verdade histórica, na dureza do seu quotidiano de trabalho, lazer e luta e que se encontra em inúmeras publicações e estudos, nas entrevistas realizadas ao longo de anos pela CMB, na memória de muitos  trabalhadores ainda vivos. E um património ligado ao desenvolvimento técnico e científico, ao gesto profissional e especializado que marca o operário barreirense.

Muito do património material já foi destruído, ao longo do tempo, como por exemplo os edifícios construídos em madeira  vinda das antigas colónias, nos anos 30, com uma arquitectura única no País.

Por esta razão, saudamos a decisão, embora tardia, tomada pela Direcção-Geral do Património Cultural, em 3 de Maio de 2017, de proceder à abertura do procedimento de classificação do conjunto de imóveis ligados à actividade  industrial e à obra social da Companhia União Fabril (CUF).

Partilhe esta notícia