A União dos Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN vai levar amanhã, 1 de Maio, Dia Internacional dos Trabalhadores, para a rua, os protestos contra “o desemprego e as normas gravosas da legislação laboral”, com concentrações em Lisboa e nos concelhos de Setúbal, Alcácer do Sal, Grândola, Sines e Santiago do Cacém.

Para os sindicalistas, é necessária “uma política que valorize o trabalho e os trabalhadores” e, nesse sentido, exigem “o direito ao trabalho com direitos e a proteção no desemprego para todos os desempregados; o aumento geral dos salários e pensões; a reposição dos salários e pensões, dias de férias e feriados roubados; a redução da carga fiscal sobre os trabalhadores e pensionistas, e o aumento da tributação sobre o capital; as 35 horas semanais de trabalho para todos, sem redução de salário; o fim do bloqueio da contratação coletiva; a revogação das normas gravosas da legislação laboral e a defesa e promoção das Funções Sociais do Estado (Saúde, Educação e Segurança Social) e dos serviços públicos.

A USS, em comunicado, exige ainda que “o País se liberte das amarras do Tratado Orçamental; a renegociação da divida, nos seus montantes, prazos e juros; o aumento da produção nacional; a melhoria das condições de vida dos trabalhadores e do povo e a garantia de melhores apoios sociais às famílias”.

 

Concentrações:

Lisboa – em conjunto com a União dos Sindicatos de Lisboa, 15h. Manifestação Martim Moniz – Alameda

Setúbal – (concelhos Palmela e Setúbal), 15h. Manifestação – Praça do Quebedo – Av. Luisa Todi

Alcácer do Sal – Santa Catarina e Casebres 10h. Jogos tradicionais, Pic-Nic, 15h. intervenção, seguido de animação musical.

Grândola – Concentração – Largo 1º de Maio 15h. Intervenção seguido de animação musical.

Sines –  IOS 10h. Caminhada e Jogo de Futebol,12h. Pic-nic 15h. Intervenção seguido de animação musical.

Santiago do Cacém – Rio da Figueira 12h. Pic-Nic, 15 h. Intervenção seguido de animação musical.

Partilhe esta notícia