A propósito do aniversário do primeiro ano de mandato dos órgãos autárquicos do concelho do Barreiro, o PS Barreiro, em nota de imprensa, acredita que este é o “momento adequado para efetuar um primeiro balanço do trabalho desenvolvido pelos eleitos do Partido Socialista”.

De acordo com os socialistas, durante este ano, os autarcas do PS “apresentaram dezenas de propostas estruturadas que visaram melhorar as condições de vida de todos os cidadãos, fiscalizaram a atividade dos diferentes executivos, estiveram próximos dos trabalhadores das autarquias, cooperaram na supressão de erros e irregularidades e apresentaram mais de uma centena de documentos políticos de relevo”.

Contudo, as propostas apresentadas esbateram “na inflexibilidade absoluta de um Partido Comunista maioritário e fechado sobre a sua visão absolutista”. “Com honrosas exceções, alguns dos altos dirigentes do poder local comunista preferem adotar uma atitude jocosa e desrespeitadora do que respeitar a diferença de opiniões e até acolher os contributos que lhes são proporcionados”, acentuam.

 

Leia a nota de imprensa na íntegra:

“Celebra-se no decorrer do mês de Outubro o 1º ano de mandato dos órgãos autárquicos do concelho do Barreiro, do mandato 2013-2017.

A 29 Setembro de 2013, os barreirenses manifestaram-se nas urnas atribuído ao PS a função de oposição na Câmara Municipal do Barreiro, na Assembleia Municipal do Barreiro, bem como nas Juntas de Freguesia. A direção política do PS Barreiro considera que este é o momento adequado para efetuar um primeiro balanço do trabalho desenvolvido pelos eleitos do Partido Socialista ao serviço da população que representam.

No cumprimento da lei e do seu elevado sentido cívico, os autarcas socialistas apresentaram dezenas de propostas estruturadas que visaram melhorar as condições de vida de todos os cidadãos, fiscalizaram a atividade dos diferentes executivos, estiveram próximos dos trabalhadores das autarquias, cooperaram na supressão de erros e irregularidades e apresentaram mais de uma centena de documentos políticos de relevo.

Numa altura em que a confiança entre representantes e representados se encontra bastante fragilizada estes eleitos contribuíram de forma abnegada para reforçar laços com a sociedade civil, estando próximos da mesma e dos seus problemas.

O Secretariado do PS considera relevante destacar, de um ponto de vista pedagógico, que estes homens e mulheres articulam as suas vidas familiares, profissionais e outras atividades com este serviço público. Mais acresce que nenhum dos autarcas eleitos pelo PS recebe um vencimento inerente a esta atividade, e mesmo as frequentemente referidas senhas de presença representam em média menos de 10% do salário mínimo nacional.

No entanto, muitas são as dificuldades que se reservam a quem se disponibiliza para dignificar a representação do poder local. Invariavelmente as nossas propostas esbatem na inflexibilidade absoluta de um Partido Comunista maioritário e fechado sobre a sua visão absolutista. Com honrosas exceções, alguns altos dirigentes do poder local comunista preferem adotar uma atitude jocosa e desrespeitadora do que respeitar a diferença de opiniões e até acolher os contributos que lhes são proporcionados.

Falamos em nome de todos os socialistas, e em particular dos seus autarcas, quando afirmamos que a implementação de um projeto da esquerda democrática e progressista no Barreiro se impõem pelo diálogo, pelo positivismo, pelo rigor e pelo trabalho.

Assim, a direção política do Partido Socialista saúda todos os autarcas pelo seu elevadíssimo sentido ético, bem como, pelos serviços prestados à sociedade barreirense.

Temos uma imensa confiança no valor das nossas equipas e continuaremos a valorizar a sua ação como forma de afirmar o Barreiro no lugar que, por direito e potencial, lhe pertence”.

Partilhe esta notícia