Com o objectivo de aprofundar o conhecimento da actividade dos SMAS no quadro da contribuição desse serviço para a defesa da água pública, uma delegação do PCP, dirigida por Jerónimo de Sousa, visitou as instalações dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Almada, ao qual se seguiu um almoço no refeitório para contacto com os trabalhadores.

Jerónimo de Sousa destacou a água como um bem essencial que deve ser mantido na esfera pública, sem ser privatizada, porque “é possível servir as populações com qualidade” nesta matéria.

O Secretário-Geral do acusou o Governo de ter uma política que colide com a de serviço público, declarando que “é possível servir as populações com qualidade, com serviços sucessivamente reconhecidos, credenciados e premiados” como é exemplo a capacidade de trabalho dos quadros do SMAS de Almada.

“Este serviço público colide com as orientações e as perspectivas deste Governo, que em primeiro lugar quer privatizar a água, e, em segundo lugar, ataca o poder local e os próprios trabalhadores” destacando a situação de Almada, onde “hoje são necessários mais trabalhadores para manter este serviço de qualidade. O Governo proíbe e penaliza todos aqueles que não reduzirem os postos de trabalho. Naturalmente aqui a Câmara Municipal de Almada vai ser penalizada porque abriu um concurso porque precisa de facto de um reforço de trabalhadores”.

 

 

 

Fonte: PCP

Partilhe esta notícia