Exposição «Ontologia da Terra» está na sala branca do Auditório Municipal Augusto Cabrita, no Barreiro, até ao dia 31 de Julho

Jéssica Burrinha nasceu no Barreiro e tem 27 anos, fez o seu ensino secundário na Escola de Santo André, a sua formação superior é em Belas Artes, com licenciatura e mestrado em Escultura. O seu mestrado foi baseado em «terra», escultura em «terra» e nas potencialidades e possibilidades da escultura com «terra».

A artista mostra nesta exposição, através da sua arte, as suas preocupações com a ecologia, denunciando os efeitos dos comportamentos humanos que estão a sufocar o planeta.

O conhecido designer e escultor Chiristian Mere sobre a exposição deixou o seguinte testemunho:

“Qualquer afirmação pressupõe a superação de uma dúvida. Superar no sentido de ultrapassá-la. No entanto, a arte não se propõe a superar as dúvidas, mas sim a penetrá-las como quem cava o seu próprio destino na dúvida. Afirmar uma ontologia da terra, é elaborar a ideia de um corpo que pensa por esse devaneio de corpos, um corpo que pensa corpos. Aqui, a arte aparece como aquilo que penetra a dúvida da terra, afirmando a existência de um pensamento da matéria na busca para encontrar imagens sem corpo. 

Em “Ontologia da Terra”, Jéssica Burrinha mistura-se com a terra, de forma a não ser mais possível delimitar-se uma da outra. Nesta exposição, podemos encontrar a terra na forma de memória do tempo, e, a artista como expressão desse tempo da memória. O tempo que a artista esculpe a terra é o mesmo tempo que esculpe a artista. São muitos tempos envolvidos, por partículas da terra, ou melhor, pelos seus segredos.” 

A entrada é livre e pode ser visitada de terça a domingo das 14h às 20h.

claudioanaia@distritonline.pt