LANÇAMENTO DA UNIDADE DE TRANSFORMAÇÃO E VALORIZAÇÃO DE BIVALVES DO RIO TEJO NO BARREIRO

22 de fevereiro, 10h30 – Barreiro

A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, preside amanhã, dia 22 de fevereiro, à cerimónia de assinatura do auto de consignação da infraestrutura de transformação, depósito e valorização de bivalves do Rio Tejo, no Barreiro.

Trata-se de um projeto integrado com a participação da Direção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM), do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), do Porto de Lisboa (APL) e da Docapesca – Portos e Lotas, todos da área do Mar, com a colaboração da Câmara Municipal do Barreiro.  

Esta instalação, que será construída numa parcela do domínio público sob jurisdição da APL, cedida ao IPMA pelo prazo de dez anos, é constituída por três módulos fundamentais: Depósito de Bivalves Vivos, Unidade de Transformação e Sistema de Valorização dos Bivalves do Estuário do Tejo, incluindo uma unidade de depuração.  

O investimento total está estimado em 2,36 milhões de euros, dos quais 1,34 milhões de euros na infraestrutura e de 920 mil euros em equipamentos e com uma comparticipação do MAR 2020 de 1,05 milhões de euros.

A amêijoa é um recurso importante para um elevado número de apanhadores no Estuário do Tejo. 

Devido ao teor bacteriológico das águas do estuário do Tejo, os bivalves capturados só podem ser consumidos após cozedura ou transposição prolongada. Assim esta estrutura vai permitir organizar o depósito e transformação de bivalves do Rio Tejo, assegurando a necessária segurança alimentar.   

Além da construção desta unidade o projeto visa regular a apanha da amêijoa-japonesa no Estuário do Tejo e a sua comercialização em condições de adequada salubridade.

A Câmara Municipal do Barreiro assegura o necessário apoio de proximidade.

Partilhe esta notícia