​​​​Ontem, cerca das 11h00 da manhã, um cidadão detetou um engenho fumígeno de marcação numa praia interior de Troia, situada no rio Sado, a montante do terminal dos ferriboats que fazem a ligação entre Setúbal e esta localidade.

O alerta dado via 112 chegou ao Comando-local da Polícia Marítima de Setúbal, que enviou de imediato uma equipa para o local. Aí foi verificado por esta equipa que se tratava de um engenho de fumo utilizado para marcação e sinalização em meio marítimo, equipamento este que é usado por praticamente todas as Marinhas e Força-Aéreas dos países NATO. 

A Polícia Marítima isolou o local e solicitou a intervenção do Destacamento de Mergulhadores Sapadores da Marinha (DMS), entidade com a capacidade de inactivação destes engenhos. 

No local, a equipa de prontidão do Destacamento de Mergulhadores Sapadores identificou e neutralizou um “Marine Marker” – engenho utilizado em ambiente marinho para sinalização de posições ou áreas de interesse. 

Devido à confluência de diversas rotas marítimas e aéreas, este tipo de engenho é encontrado com alguma frequência na costa portuguesa e requer precauções no seu manuseamento, podendo ser extremamente perigoso. Pois na sua composição, contém fósforo branco que, na presença de oxigénio, deflagra (inicia combustão a alta temperatura), podendo causar queimaduras graves se em contato com a pele. 

Ainda que aparente um estado estável e seguro, como foi o caso, deve sempre ser reportado às autoridades pois o engenho encontrava-se acionado, totalmente funcional e continha ainda parte da sua carga.

Regista-se o comportamento correto do cidadão que encontrou este engenho, que deve ser: não remover o engenho e informar de imediato as autoridades num contacto direto ou utilizar o número nacional de emergência 112.

Fonte:marinha.pt 

Fotos:marinha.pt 

Partilhe esta notícia