A criação do novo centro de pesquisa e desenvolvimento, o Visteon Technical Center Portugal, em Palmela, vai gerar numa primeira fase, cerca de 60 postos de trabalho qualificados na área da engenharia. Nesta fase inicial, o investimento associado a este projeto ascende a 1,7 milhões de euros.

Pires de Lima, ministro da Economia e Sunil Bilolikar, vice presidente do Grupo Visteon, lançaram esta terça-feira, durante a cerimónia, a primeira pedra do novo centro de engenharia, este novo Centro reforça a posição da Visteon em Portugal, numa área tão estratégica como o desenvolvimento tecnológico de novos produtos para a engenharia automóvel.

O projeto está dividido em três fases distintas, que serão desenvolvidas nos próximos três anos, e, para além do novo Centro, o edifício vai ainda integrar organismos centrais da Visteon Corporation.

Sunil Bilolikar explicou que este investimento na unidade portuguesa resulta do “processo de crescimento da fábrica que coloca Palmela na liderança da produção de tecnologias avançadas”. “Existe aqui uma força de trabalho que tem conseguido manter o entusiasmo e adaptar-se às mais recentes inovações tecnológicas e desenvolvimento dos processos de produção”, acentuou o responsável do Grupo Visteon, defendendo que “este nível de comprometimento tem sido essencial ao longo dos últimos anos para a afirmação da unidade de Palmela como uma das principais fábricas da Visteon”.

Paulo Iglésias, diretor da unidade de produção em Palmela, sublinhou que as palavras do vice presidente do Grupo Visteon, de reconhecimento pelo trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos anos pela empresa no concelho do distrito de Setúbal, são “um fator de orgulho e motivação para toda a equipa”, enaltecendo que a nova aposta da empresa representa “um passo importante para a comunidade e, no sentido lato, para o país”.

O ministro da Economia, António Pires de Lima, considerou que “a construção de um novo Centro de Engenharia na unidade de Palmela reforça o sucesso da aposta da Visteon em Portugal”, sublinhando que se trata de “um exemplo paradigmático do que é possível fazer quando há uma visão estratégica e quando se dá valor ao que Portugal tem de melhor. Por um lado, temos uma mão-de-obra altamente qualificada, focada na especialização e intensidade tecnológica, por outro lado, Portugal é cada vez mais um elo fundamental na cadeia de valor da distribuição, tendo em conta a nossa posição estratégica e as relações privilegiadas das nossas empresas fornecedoras de grandes marcas internacionais”.

Veja a intervenção: http://youtu.be/L-Qvxti2UuU

 

Recorde-se que, a unidade da Visteon em Palmela é responsável pela produção de diapositivos de informação e áudio, controlos climáticos, soluções de entretenimento, e-compressor invertors e iluminação eletrónica, sendo, inclusivamente, considerada a maior fábrica de produção de componentes eletrónicos da Europa.

No final da visita, aos jornalistas, Pires de Lima desvalorizou as previsões económicas de outono, divulgadas esta terça-feira em Bruxelas pela Comissão Europeia, que preveem um crescimento económico do país de 1,3% em 2015, abaixo de 1,5% previsto pelo Governo na proposta de Orçamento do Estado para o próximo ano, e um défice de 3,3% do Produto Interno Bruto em 2015, muito acima dos 2,7% inscritos pelo Governo na proposta de Orçamento, o que, a concretizar-se, manterá o país sujeito a um Procedimento de Défice Excessivo.

“Portugal vai cumprir, pelo menos, aquelas que são as previsões que o Governo estabeleceu no seu cenário macroeconómico para o próximo ano”, afiançou o ministro da economia, reiterando que “Portugal vai continuar a crescer em 2015, vai continuar a convergir com a média europeia, coisa que não acontecia há muito tempo, e aconteceu pela primeira vez em 2014, mas que vai continuar acontecer em 2015” e o desemprego vai continuar a descer.

 

O DISTRITONLINE participou na  cerimónia de lançamento da primeira pedra a convite do Grupo Visteon 

Partilhe esta notícia