O Hospital de São Bernardo vai, este sábado, receber um abraço. Várias famílias vão juntar-se às 21h num protesto cívico, promovido pelo movimento “Mães de Água”, que exige a manutenção de partos na água no Hospital de Setúbal.

O protesto pretende, também, assinalar a data em que foi encerrado há um ano atrás o único serviço público de partos dentro de água da península Ibérica, que funcionava no Hospital de São Bernardo, em Setúbal.

Durante a iniciativa, serão, ainda, acesas 92 velas azuis, o número de bebés que nasceram dentro de água no Hospital de Setúbal.

Mulheres de vários pontos do país deslocavam-se a Setúbal para usufruir deste serviço, o único no Sistema Nacional de Saúde. Na página oficial do Facebook, as famílias referem que a decisão de suspender o projeto “afetou profundamente as mulheres que foram mães na unidade e as que planeavam ser”.

Recorde-se que, o parto dentro de água tem sido objeto de muitos estudos que defendem que esta escolha tem vários benefícios, nomeadamente o alívio de dor, liberdade de movimento e maior relaxamento, o que se traduz em partos mais rápidos, menos dolorosos e com menos recursos a intervenções artificiais – como cesarianas, episiotomias, uso de fórceps, medicação, etc.

Partilhe esta notícia