O recém-eleito presidente da Comissão Política de Secção do PSD de Almada, Miguel Salvado, pretende que o partido mobilize os almadenses para uma participação mais activa na vida política do concelho.

No âmbito da cerimónia de tomada de posse da nova estrutura política, o dirigente social-democrata pretende “um partido mais activo, com maior interacção junto da população, motivando os cidadãos a contribuírem para o futuro do concelho”.

Miguel Salvado critica ainda a gestão comunista na autarquia, acusando a mesma de “prepotência e falta de sentido democrático, ignorando as restantes forças políticas nos debates sobre o futuro de Almada”.

O presidente da Distrital de Setúbal do PSD, Bruno Vitorino, acusou ainda o PCP de “repetir a mentira até à exaustão de algo que sabem que não ir acontecer, assustando as populações”, dando como exemplo o facto de “continuarem a insistir no fecho de maternidades, quando o Governo esclareceu logo de início que nenhuma dessas unidades iria encerrar na região”.

O secretário-geral do PSD, Matos Rosa, manifestou a sua “satisfação e orgulho por todos aqueles que deram a cara nestes 40 anos de projecto social-democrata no distrito”.

O dirigente nacional realçou ainda a importância de ter um “partido, forte, unido e mobilizado em Almada”.

A presidente da JSD Almada, Inês Isabel, considera que a estrutura local do partido “precisava de uma remodelação, de gente nova, para trazer novas ambições para o concelho”.

Partilhe esta notícia